Instituto Butantan amplia número de voluntários para testar CoronaVac

Foto: Divulgação/ Jcomp

Profissionais de saúde, incluindo idosos com mais de 60 anos ou que já tiveram covid-19, podem se inscrever para participar dos testes da CoronaVac – a vacina contra o novo coronavírus desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac Biotech.

Não foi só o perfil que foi ampliado. O número de voluntários da CoronaVac também aumentou. Passou de 9 mil para 13 mil.

O Secretário de Saúde do Estado de São Paulo, Jean Gorinchteyn, explica que no primeiro momento a pesquisa precisa que 61 voluntários do grupo que recebeu o placebo testem positivo para a covid-19. Depois, será necessário chegar a 156 infectados. Gorinchteyn destaca que, com a redução dos casos da covid-19 no país, essa meta ficou mais difícil de ser alcançada, por isso foi necessário incluir mais voluntários.

Além de São Paulo, a vacina desenvolvida pela Sinovac é testada em mais sete estados e no Distrito Federal.

No DF, por exemplo, a meta é vacinar 852 pessoas. Setecentos profissionais de saúde já foram incluídos. Ainda há vaga para quem se interessa em ser um voluntário. Para participar, é preciso preencher formulário on-line no site do Instituto Butantan, que coordena o estudo no Brasil.

A vacina de Oxford, com estudos no Brasil conduzidos pela Fiocruz, também ampliou o número de pessoas na pesquisa. O estudo começou com 5 mil voluntários, mas esse número foi ampliado para 10 mil.

Quem aceita participar da pesquisa se compromete a ser acompanhado por um período de um ano.

As informações são da Agência Brasil