Brasil

Internautas reagem a possível fraude em atestado de óbito de Regina Hang

Foto: Acervo pessoal

Após repercutir a informação de que a Prevent Senior teria fraudado o atestado de óbito da senhora Luciana Hang, mãe do empresário bolsonarista Luciano Hang, internautas questionaram a postura do dono da rede de lojas Havan.

“Não posso acreditar que o cidadão que é chamado de “Veio da Havan” tenha adulterado o atestado de óbito da própria mãe. Tudo em nome do poder? Tudo em nome da ideologia fascista?”, perguntou a professora Marcia Tiburi, no Twitter.

“Vai vendo…o veio da Havan internou a própria mãe na Prevent Senior. Lá pediu pra darem tratamento precoce pra ela. Deram e ela morreu. Depois ele escondeu que ela fez “tratamento precoce”, disse que ela morreu pq não tomou cloroquina. Eles acreditam em tudo q o Bozo diz”, disse outra usuária.

“Nem a mãe o véio da Havan respeitou !! Que loucura !! Atestado de óbito falso para esconder que a senhora pegou Covid 19 !! Onde isso vai parar ??”, postou o deputado federal Paulo Pimental (PT-RS).

“Bolsonaro fraudou o cartão de vacinação da mãe. Véio da Havan fraudou o atestado de óbito da mãe. Mas eles querem te convencer que defendem a ‘família'”, repercutiu outro usuário.

“q véio maldito esse da havan. se eu tivesse comprado alguma coisa na loja desse homem eu queimava agora”, disse outra internauta.

O assunto também foi debatido na sessão da CPI da Covid nesta quarta-feira. O depoente de hoje é o diretor-executivo da operadora de saúde Prevent Senior, Pedro Benedito Batista Júnior.

Questionado sobre o tratamento realizado na senhora Regina Hang, o executivo afirmou que não poderia dar detalhes sobre o assunto. No entanto, o senador Randolfe Rodrigues (REDE-AP) afirmou ter acesso ao prontuário completo da ex-paciente, no qual está escrito em que ela foi submetida ao chamado “tratamento precoce”, diferente do que Luciano Hang disse.

Entenda o caso

O dossiê elaborado 15 médicos que trabalharam saúde Prevent Senior e entregue à CPI da Covid aponta que a declaração de óbito da mãe do empresário bolsonarista Luciano Hang, Regina Hang, foi ‘fraudada’.

Segundo o documento, Regina teria sido medicada com o tratamento precoce (hidroxicloroquina, azitromicina e colchicina) e medicamentos experimentais, diferentemente do que relatou seu filho, e teria morrido em decorrência da Covid em 3 de fevereiro.

Segundo informações do  Estadão  , que teve acesso ao dossiê, os médicos afirmam que a fraude na declaração de óbito de Regina Hang é um dos “inúmeros casos que não foram devidamente noticiados”. O relato sobre a mãe de Hang consta do capítulo “Da suposta fraude nas declarações de óbito”, do dossiê de mais de 60 páginas.