Internos do Compaj iniciam curso de Mecânica de Refrigeração de Condicionador de Ar

Foto: Divulgação/Seap

Vinte reeducandos do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) iniciaram, nesta semana, o curso de Mecânica de Refrigeração de Condicionador de Ar. É mais um resultado da parceria entre a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) e a empresa cogestora Reviver Administração Prisional Privada.

A certificação de 160 horas será oferecida pelo Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam). Serão 30 dias de aulas, sendo 20 de aprendizado teórico e 10 de prático. Durante o curso, o instrutor do Cetam, José Orlando Freire, passará conhecimentos em várias áreas do saber, desde higienização e organização no trabalho a microempreendedorismo e relações interpessoais.

José Orlando já colabora com o sistema prisional há seis anos e vê em cada turma uma nova experiência. “É sempre uma nova experiência, e sempre com muito compromisso de qualificar esses homens para devolvê-los ao mercado de trabalho, com uma perspectiva de uma vida melhor e com a garantia de uma qualificação profissional em um mercado promissor, que é o de refrigeração”.

Também fazem parte da grade de conteúdo do curso aprendizados como manutenção, montagem e higienização de condicionadores de ar, câmaras frigoríficas, bebedouros, geladeiras e automotivos, além de instalação e desinstalação de aparelhos split e motor ventilador, recolhimento de gás, leitura de capacitores e manuseio de redes elétricas.

Qualificação

Os cursos profissionalizantes oferecidos no sistema prisional são úteis tanto para aquisição de um novo conhecimento quanto para garantir uma qualificação certificada aos internos que já tinham um conhecimento prévio em alguma área. É o caso do interno Carlos Melo* (nome fictício), 42 anos, que faz parte do programa de ressocialização “Trabalhando a Liberdade” há um ano e dois meses.

“Estar fazendo parte do curso de Refrigeração é uma grande honra, uma possibilidade de me qualificar e requalificar, pois já fazia trabalhos de refrigeração aqui dentro e lá fora. E sei que esse aprendizado vai me levar a novos horizontes quando eu sair e também que meu tempo aqui, dentro do sistema, não foi perdido porque alguém apostou em mim e me deu essa oportunidade maravilhosa de participar do curso. Agradeço muito a todos“, declarou Carlos.

Trabalho remunerado

Dos 20 participantes do curso, seis fazem parte de projetos de trabalho remunerado nos serviços de manutenção predial.

As informações são da assessoria