Destaques Meio ambiente

Ipês envenenados na Avenida Djalma Batista apresentam sinais de recuperação

Técnicos do órgão continuarão monitorando as árvores para acompanhar o processo de regeneração da espécie- foto: Arlesson Sicsú / Semmas
Redação
Postado por Redação

As medidas adotadas para salvar os seis ipês que sofreram tentativa de envenenamento, em abril deste ano, no canteiro central da Avenida Djalma Batista, começam a ter efeito. Em pelo menos cinco das seis árvores que sofreram a agressão, já se observa o rebrotamento de folhas nas extremidades dos galhos, o que indica que a árvore está viva e pode se recuperar com o tempo.

Os ipês, que permaneceram em observação ao longo dos últimos dois meses, sendo monitorados por técnicos da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), receberam curativos com aplicação de sulfato de cobre nas fendas abertas (por onde foi colocado o veneno) e tiveram o solo adubado, com aplicação de terra preta e calcário no entorno das árvores.

Técnicos do órgão continuarão monitorando as árvores para acompanhar o processo de regeneração da espécie. A Semmas aguarda também o resultado das investigações realizadas pela Delegacia Especializada em Meio Ambiente (Dema), da Polícia Civil, que instaurou inquérito para apuração do caso.

Policiais da Dema realizaram coleta de informações e diligências no local. O trecho da Djalma onde ocorreu a contaminação fica na altura da Rua Rio Branco, no Vieiralves. A tentativa de envenenamento foi constatada na manhã do dia 29 de abril por técnicos da Semmas. As árvores sofreram um corte no tronco e tiveram um líquido escuro aplicado na área.

Além de responder criminalmente, os responsáveis podem ser enquadrados no artigo 137, do Código Ambiental do Município, que considera infração grave danificar, suprimir ou sacrificar árvores da arborização urbana, com multa agravada pelo dano causado.

Com informações da assessoria

Comentários

comentários


Deixe um comentário