Mundo

Jogador declarado morto volta à vida após 4 anos e deve ser preso

Foto: Reprodução

O ex-jogador do Schalke 04, Hiannick Kamba, será julgado no Tribunal Regional de Essen, na Alemanha, por fingir a própria morte para receber um seguro de vida de 1,2 milhão de euros, cerca de R$ 7 milhões.

O congolês de 35 anos, ex-companheiro do goleiro Manuel Neuer, é acusado de uma suposta fraude, após o Ministério Público acreditar que ele fingiu a sua própria morte em um acidente rodoviário, em 2016, apenas com o intuito de receber o dinheiro da companhia de seguros.

Após uma análise completa dos fatos, a indenização milionária foi paga à mulher do jogador, que também será julgada. A acusação afirma que o casal assinou um seguro de vida em 2015, tendo inclusive tentado que o valor da indenização fosse de cerca de quatro milhões de euros.

Em janeiro de 2016, o jogador, até então com 29 anos, viajou até Kinshasa, capital do seu país. Porém, ele nunca chegou ao destino e os seus amigos e colegas de equipe receberam a notícia de que ele teria falecido num acidente de carro. Porém, em maio de 2020, de forma surpreendente, Hiannick Kamba reapareceu e alegou que havia sido sequestrado.

Kamba

O ex-Schalke garantiu à embaixada alemã no Congo que foi sequestrado na viagem, mantido preso durante quatro anos e nada tinha que ver com o fato de a sua mulher ter cobrado a indenização à seguradora. Durante o julgamento, Kamba não quis contar detalhes do suposto sequestro, nem sobre a relação que tem com a mulher ou sobre o fato de ter ou não usufruído da indenização.

Já a companheira do jogador, também acusada, preferiu ficar calada e os seus advogados justificaram a ausência de declarações por questões emocionais: “Estava em choque quando recebeu a notícia da morte do seu marido e sentiu-se igualmente em choque quando ele apareceu vivo anos depois”, apontaram.

A sentença do caso deverá ser conhecida em meados do próximo mês de novembro e ele pode ser preso se for confirmada a fraude.

As informações são do IG