Polícia

Jovem confessa ter matado e mutilado desafeto: ‘me chamava de cagueta’

foto: divulgação

O entregador de delivery, Everson Ferreira Duarte de 28 anos, foi encontrado morto dentro de uma residência na rua Cipó Alho, no conjunto João Paulo, bairro Jorge Teixeira 3ª etapa, na manhã desta sexta-feira (23), com a barriga aberta e as vísceras de fora. O autor confesso do crime, foi preso em seguida e identificado como Luís Henrique Alencar dos Santos, de 21 anos, que teria dito que era alcunhado pela vítima como “cagueta da área”.

O delegado Torquato Moser, titular do 30º Distrito Integrado de Polícia (DIP), informou que a cena do crime indica que houve uma grande briga e discussão. O corpo de Everson foi encontrado em meio ao cenário de horror, o cômodo da casa, completamente coberto de sangue, sua barriga aberta e as vísceras tiradas ao lado do cadáver. Segundo a Polícia Civil, a própria família, encontrou o corpo, após vizinhos denunciaram para a sua mãe, que o Everson ainda não havia saído de casa, e acharam estranho.

O crime teria ocorrido durante a madruga. Luiz Henrique passou a noite bebendo coma vítima, e em dado momento saiu da casa e retornou mais tarde. Nesse momento se aproveitando que Everson já estava dormindo, arrombou a porta e consumou o homicídio.

Já pela parte da manhã, por volta das 10h, a polícia localizou e prendeu Luiz Henrique, naquele mesmo bairro. “A polícia encontrou andando pelo bairro roupas da vítima com uma faca e também o principal suspeito, Luís Henrique, que estava com marcas de sangue, cortes recentes, grandes indícios de que algo de errado havia acontecido”, explicou Torquato Moser.

Logo na abordagem Luís admitiu a autoria do crime, que segundo ele matou sozinho a vítima. “Mas nos não acreditamos que uma pessoa tenha feito aquilo sozinha. Matar, abrir a barriga, retirar o estomago, dar uma facada no pescoço para ter certeza que o rapaz estava morto. É muito difícil”, comentou o delegado titular do 30º DIP.

Ainda segundo o delegado Moser, a motivação do crime, apontada pelo réu confesso, é de que a vítima o acusava de ser o “cagueta da área”.

O delegado Charles Araújo, da Delegacia de Homicídios e Sequestros (DEHS), que também acompanhou o caso, afirmou que há indícios que apontam que o preso tem ligação com o tráfico de drogas na área. “Como o doutor já falou, a motivação do crime tem tanto a ver com o fato de eles estarem sob efeito de bebida alcoólica como o fato do envolvimento o crime”, explicou.

O caso continuará sendo conduzido pelo 30º Distrito Integrado de Polícia (DIP). Luiz Henrique foi apresentado para os procedimentos cabíveis, e depois ficaria à disposição da Justiça.

Por Joandres Souza – Portal Manaus Alerta