Brasil

Jovem planejava realizar massacre na escola em que estuda na Grande BH

Foto: Reprodução / Record Tv Minas

A Polícia Civil de Minas Gerais fez, neste segunda-feira (17), um importante alerta para os pais de adolescentes durante uma coletiva de imprensa realizada na Delegacia da Divisão Especializada de Investigação aos Crimes Cibernéticos. Com informações do site O Tempo.

De acordo com a delegada Danielle Aguiar Carvalho, uma adolescente estava planejando realizar um ataque contra a escola em que estudava, na região metropolitana de Belo Horizonte, e já havia postado mensagens sobre suas intenções nas redes sociais, sem que os pais da jovem imaginassem que a filha planejava realizar um massacre. “O comportamento dos adolescentes tem mudado, sobretudo com o panorama atual e requer atenção dos familiares”, alertou.

De acordo com a delegada, a ação da Polícia Civil impediu o crime. “Foi evitada uma tragédia, não tenho dúvidas disso”, afirmou. No quarto da jovem foram encontradas várias facas e até um facão. O celular da menor foi apreendido e foram encontradas mensagens de ameaça e outras conversas, onde a adolescente contava que também planejava também atacar parentes próximos. Danielle destacou que o objetivo da coletiva não é falar sobre a ameaça, mas sim fazer um alerta aos pais, por isso poucas informações sobre o caso específico seriam repassados.

“Os pais e familiares precisam ser diligentes na condução da educação e na fiscalização dos atos de seus filhos. Conhecer o comportamento deles nas redes sociais e grupos de whatsapp. É importante que se faça essa fiscalização e que se esteja atento a qualquer mudança de comportamento”.

No caso em questão, os pais sequer sabiam que a filha estava mantendo as facas em seu quarto, sendo que elas não estavam escondidas ou guardadas em lugares de difícil acesso, assim como não acompanhavam as redes sociais da jovem.

“Às vezes, do nada, o adolescente começa a ficar furtivo, se isolar da família e não ter amigos. São os pais que devem manter um diálogo saudável com os filhos, mas também exercer sua autoridade, olhando as redes sociais, acompanhando os grupos que eles estejam participando no whatsapp ou qualquer outro aplicativo de mensagem. Isso é de extrema importância”, ressaltou.

‘Ao menor sinal, os pais devem procurar ajudar e conversar, mas se for necessário, deve-se buscar ajuda profissional”, explicou a delegada.

Os pais que perceberem mudanças no humor e comportamento dos filhos adolescentes devem ficar atentos, principalmente se houver alteração nos hábitos noturnos. “Ao menor sinal, os pais devem procurar ajudar e conversar, mas se for necessário, deve-se buscar ajuda profissional”, destacou.

Operação Male Adversus

Neste sábado (15) a Polícia Civil realizou a operação Male Adversus, onde cumpriu um mandato de busca e apreensão na casa dos pais da menor que havia anunciado o desejo de atacar a escola em uma postagem nas redes sociais. No quarto da menor foram encontradas várias facas, a maior parte delas de uso doméstico, um facão e outros objetos cortantes.

Durante as buscas pelo quarto da jovem, os pais ficaram supressos ao verem o que a filha tinha dentro do quarto. “Eles ficaram totalmente chocados e surpresos ao tomarem conhecimento de tudo o que estava envolvido na investigação”, contou a delegada Danielle Aguiar. De acordo com a Polícia Civil, os responsáveis pela garota aparentemente não tinham acesso ao quarto dela, pois eles sequer sabiam que ela tinha várias facas pelo cômodo. “Nesse caso, nenhum dos objetos encontrados no quarto dela estavam escondidos, em cofre ou em compartimentos mais sigilosos, descreveram os policiais.

O Chefe do Departamento Estadual de Combate à Corrupção e a Fraudes, Delegado-Geral Agnelo de Abreu Baeta, informou que a PC não vai divulgar a forma com que chegou até a menor, pois essa informação poderia atrapalhar as investigações. Os levantamentos mostraram que ela pretendia fazer o ataque sozinha e não tinha contato com grupos extremistas ou apoio de outras pessoas.

A menor foi ouvida pela Polícia Civil acompanha pelo pai e reconheceu ter postado a ameaça contra a escola, mas disse não ter a intenção de cumprir a ameaça. Ela retornou para casa no mesmo dia, após dar esclarecimentos sobre o caso. Segundo a delegada, a investigação criminal segue em andamento e posteriormente será encaminhada para a justiça.

Os pais da menor foram orientados a procurar por ajuda profissional para a filha. O celular e as facas encontradas no quarto foram apreendidos.