Julgamento de impeachment de Trump começa nesta terça no Senado

(Foto: Isac Nóbrega/PR)

O Senado dos Estados Unidos começa na tarde desta terça-feira (21) a julgar se o presidente Donald Trump será ou não afastado do cargo, após a aprovação do impeachment pela Câmara dos Deputados, em dezembro do ano passado.

O processo deve correr a toque de caixa, uma vez que o Senado é dominado pelo Partido Republicano, o mesmo de Trump. Os republicanos têm 53 das 100 cadeiras, e todos declararam apoio ao presidente.

Nesse sábado (18), os deputados do Partido Democrata que atuam como promotores protocolaram os argumentos favoráveis ao afastamento, e nessa segunda-feira (20) a defesa do presidente apresentou oficialmente seus argumentos aos senadores.

A partir das 15 horas (horário de Brasília) desta terça, os senadores se reunirão para a primeira sessão do julgamento, e votar uma resolução sobre o formato do processo.

Os senadores vão definir se testemunhas serão convocadas a depor, uma demanda do Partido Democrata que poderá influenciar diretamente a duração do julgamento.

Trump é acusado de abuso de poder ao pedir ao presidente da Ucrânia, Volodmyr Zelensky, a investigação da família de Joe Biden. Ele teria condicionado uma ajuda econômica à obtenção de informações contra o possível candidato democrata.

O plano de McConnell oferece um total de 24 horas aos promotores nomeados pela Câmara dos Deputados e à defesa da Casa Branca, mas concentrados em dois dias, então as jornadas se prolongariam até a meia-noite.

Na continuação, haveria um período de perguntas e respostas de 16 horas, seguido por um debate e uma votação sobre se serão consideradas mais provas e testemunhas.

Os republicanos contam com uma maioria de 53 votos no Senado, contra 47 da oposição, motivo pelo qual os democratas necessitam o apoio de pelo menos quatro senadores republicanos para recusarem a iniciativa de McConnell e prolongarem o processo com novos documentos e testemunhas.