Polícia

Ladrões presos por furtar R$ 108 mil em celulares e joias, são libertados em Jutaí

foto: divulgação

Dois homens de 36 e 41 anos que furtaram mais de R$ 100 mil de uma loja de variedades do município de Jutaí (distante 751 quilômetros em linha reta de Manaus), foram soltos após a prisão em flagrante, com todo material do furto. Os criminosos invadiram o estabelecimento por volta das 3h da madrugada de segunda-feira (7) e foram presos por volta das 21h do mesmo dai, antes de completar 24 horas, tentando fugir para a capital em uma embarcação com o material do crime.

No furto, os criminosos levaram 21 pulseiras de valor total estimado de R$ 40.660,00; 27 anéis, de R$ 27.375,00; 18 cordões, de R$ 3.430,00; quatro gargantilhas, de R$ 1.505,00; duas tornozeleiras, de R$ 760,00; além de três relógios, de R$ 1.838,00; 15 aparelhos celulares smartphones, de R$ 33.140,00; quatro celulares ainda sem preços, dois carregadores de celular. Totalizando em produtos furtados o valor aproximado de R$ 108.708,00.

Na segunda-feira, os policiais foram procurados por uma senhora, proprietária de um estabelecimento comercial, acompanhada do irmão, que relataram terem sido furtados, na madrugada daquele dia. Objetos avaliados em mais de R$ 100 mil. A própria vítima conseguiu as informações através de imagens das câmeras de segurança do comércio e, também, do hotel em que os infratores se hospedaram, o que possibilitou a coleta de evidências e a identificação dos envolvidos.

Segundo o investigador Diego Araújo, gestor da 56ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Jutaí, ainda na madrugada de segunda-feira, após o furto, por volta das 5h, os indivíduos embarcaram em uma lancha para o município de Tonantins, e, no fim da tarde do mesmo dia, a Polícia Militar recebeu uma denúncia informando que os indivíduos estariam em outra embarcação, com destino à Manaus. Uma guarnição Militar foi ao porto da cidade, onde abordou o barco e durante revista no local foi encontrado o material furtado, momento em que prenderam a dupla, por volta das 21h.

Diego Araújo justificou que os indivíduos foram liberados, pois já havia passado o flagrante, o que revoltou as vítimas do furto que conseguiram por conta própria informações dos suspeitos dando possibilidade para a prisão efetuada pela Polícia Militar.

O gestor informou ainda que o pedido de prisão preventiva dos criminosos foi feito pelo Ministério Público.

Os materiais furtados, entre joias e celulares, foram devolvidos ao proprietário da loja.

Portal Manaus Alerta