Lava Jato: em redes sociais políticos lamentam a saída de Deltan Dallagnol

Foto: José Cruz/ABr

A saída do procurador da República Deltan Dallagnol da coordenação da força-tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba (PR) foi comentada por senadores em publicações na internet. Na maioria, as postagens louvaram o papel desempenhado pelo procurador — que pediu afastamento da operação para dedicar-se ao cuidado da família — na Lava Jato desde 2014.

O senador Alvaro Dias (Podemos-PR), ao anunciar a saída de Deltan no Twitter, indagou se o fato representa “retrocesso” para a Lava Jato. “A ausência de Deltan significará grande desfalque pelo comportamento corajoso e imbatível e pela experiência vivida nesses seis anos de Lava Jato”, disse o senador.

Alvaro também encaminhou mensagem em vídeo em que Deltan explica os motivos de sua saída e declara que a Lava Jato ainda tem muito a fazer.

O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) disse na rede social que “enfrentar o sistema corrupto exige coragem e sacrifício não só do combatente, mas de sua família e amigos. Deltan é um herói brasileiro. As mentiras impulsionadas com dinheiro sujo não vão apagar a história.”

Arolde de Oliveira (PSD-RJ) classificou como “seis anos de implacável combate à corrupção” o período de Deltan Dallagnol na coordenação da Lava Jato: “Que Deus o abençoe em nova caminhada sob o contínuo reconhecimento pelos inestimáveis serviços já prestados ao Brasil”, declarou.

Destacando a “sabedoria e tranquilidade” com que Deltan decidiu priorizar a família, o senador Flávio Arns (Podemos-PR) deu os parabéns ao procurador por sua postura correta: “Seu trabalho no combate à corrupção em nosso país é motivo de orgulho e será sempre valorizado por todos nós. Esperamos que você e sua família superem os novos desafios e que a Operação Lava Jato siga firme, sem retrocessos.”

Enquanto isso, o senador Lasier Martins (Podemos-RS) sublinhou os efeitos da saída de Deltan: “Os que temem [a Lava Jato] respiram aliviados, fabricam apelidos na tentativa de desqualificar o trabalho. Os que não temem, agradecem o empenho e esperam a continuidade das ações. Obrigado!”

O senador Major Olimpio (PSL-SP) divulgou sua “tristeza” com o acontecimento, mas disse estar seguro de que “o novo coordenador, Alessandro Oliveira, terá o mesmo êxito e empenho. A Lava Jato deve continuar e cada vez mais forte!”

Por fim, o senador Rogério Carvalho (PT-SE) questionou o papel de Deltan na força-tarefa, afirmando no Twitter que o procurador “disse que entrou na Lava Jato por acreditar num Brasil sem corrupção, mas perdeu a capacidade de transformar este sonho brasileiro em realidade por praticar a corrupção”. Ao cobrar julgamento e punição a Deltan, o parlamentar disse ser necessário impor “limites a quem se julga acima da lei”.

As informações são da Agência Senado