Brasil

Lázaro contou a reféns que monitorou família antes da chacina 

Foto: Reprodução

Vinte e três dias antes de assassinar brutalmente quatro pessoas de uma família no Incra 9, em Ceilândia, o maníaco Lázaro Barbosa, 32 anos, invadiu uma chácara na mesma região, obrigou os moradores a rezar a oração do Pai Nosso e tirou foto das vítimas sem roupa. Os reféns contaram um detalhe que pode indicar o modus operandi do serial killer: ele monitora toda a região antes de atacar.

Uma mulher que ficou sob a mira de um revólver disse que o próprio criminoso narrou ter passado o dia todo vigiando a residência. Lázaro reproduziu até diálogos dos parentes ao longo de sua campana.

Leia a matéria completa no Metrópoles, parceiro do Manaus Alerta.