Leonardo DiCaprio desmente Bolsonaro sobre queimadas na Amazônia

Bolsonaro e Leonardo DiCaprio Foto: Montagem/Reprodução

Leonardo DiCaprio se pronunciou pela primeira vez neste sábado (30) sobre as acusações feitas pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), relacionadas a um suposto envolvimento do norte-americano com ONGs que, na visão do presidente, estão envolvidas nos incêndios da floresta Amazônica. As informações são do Metrópoles.

“Embora valha a pena apoiar, certamente não financiamos as organizações que estão atualmente sob ataque. O futuro desses ecossistemas insubstituíveis está em jogo e tenho orgulho de fazer parte dos grupos que os protegem”, escreveu DiCaprio, em uma nota enviado às agências internacionais AFP e Reuters.

As Organizações Não Governamentais (ONGs) que tratam do meio ambiente têm sido atacadas por Bolsonaro desde o aumento do desmatamento no Norte do país. A instituição da qual DiCaprio é fundador, “Earth Alliance”, prometeu doar US$ 5 milhões para a proteção da Amazônia após as queimadas.

Bolsonaro acusou Leonardo DiCaprio de ter participação indireta nas queimadas da Amazônia. “Leonardo DiCaprio é um cara legal, né? Dando dinheiro para tacar fogo na Amazônia”, disse a apoiadores na saída do Palácio da Alvorada, na manhã de sexta-feira (29).

O assunto começou quando uma mulher fez um apelo ao presidente pela preservação dos recursos naturais. “Os índios em Altamira falam francês”, disparou outra apoiadora. “E lá o fogo foi criminoso”, completou a primeira.

Repercussão no Exterior

A declaração do presidente brasileiro repercutiu também nos veículos internacionais, que criticaram a fala do mandatário brasileiro. O jornal The NY Times afirmou que a fala do presidente brasileiro foi dada “sem evidências”.

O The Guardian chegou a chamar Bolsonaro de “populista nacionalista”, e afirmou que ele “prometeu expulsar ONGs do meio ambiente do país”. Já para o Washington Post, as declarações de Bolsonaro fazem parte de uma “campanha do governo mais ampla contra grupos sem fins lucrativos que operam no Brasil”.

Fonte: Metrópoles