Lucro da Gol cai 83,7% e soma R$ 35,2 mi no 1º trimestre

Entre as principais causas, a empresa cita em seu informe de resultados a variação cambial e monetária negativa. Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

A Gol encerrou o primeiro trimestre de 2019 com lucro líquido de R$ 35,2 milhões, com retração de 83,7% ante os R$ 215,6 milhões informados um ano antes, no critério antes da participação minoritária da Smiles. Se considerando o critério depois da participação minoritária, a empresa reportou prejuízo líquido de R$ 32,3 milhões, ante lucro de R$ 142,3 milhões um ano antes.

Entre os principais fatores que tiveram impacto nos resultados do período, a empresa cita em seu informe de resultados a variação cambial e monetária negativa de R$ 90,7 milhões. Um ano antes, essa variação foi negativa em R$ 40,2 milhões.

Importante observar que o valores do primeiro trimestre de 2018 foram reapresentados de acordo com o IFRS 16, não auditados.

O Ebitda (excluindo as despesas não recorrentes) cresceu 15,5% no comparativo anual, somando R$ 951,8 milhões. A margem Ebitda foi de 29,6%, 1,9 p.p. superior a informada um ano antes.

O impacto do aumento de 0,76 centavos no RASK (receita operacional dividida pelo total de assentos-quilômetro oferecidos) e de 0,91 centavos no custo operacional por assento disponível por quilômetro (CASK) ex-depreciação resultou em Ebitda por assento-quilômetro disponível de 7,30 centavos no trimestre, aumento de 0,67 centavos no comparativo anual.

Nos comentários que acompanham o balanço, a aérea ressalta que atingiu o 11º trimestre consecutivo de resultado operacional positivo em razão do forte controle de custos e gestão da capacidade e yield, mesmo diante do aumento de 16,2% do câmbio médio e o aumento de 9,3% no preço de querosene de aviação.

O lucro operacional (Ebit), excluindo as despesas não recorrentes, foi de R$ 546,2 milhões, 1,3% superior em comparação ao mesmo período de 2018. A margem operacional do primeiro trimestre foi 17%, em queda de 1,2 p.p. em relação ao primeiro trimestre do ano passado. Em uma base por assento-quilômetro disponível, o EBIT (excluindo as despesas não recorrentes) foi de 4,19 centavos no primeiro trimestre, em comparação aos 4,34 centavos reportado em igual período do ano anterior.

Como já anunciado, a projeção da Gol para margem Ebit e margem Ebitda em 2019 é da ordem de 18% e 28%, respectivamente.

A receita líquida da Gol registrou expansão de 8,3% no primeiro trimestre de 2019 ante o informado um ano antes, somando R$ 3,2 bilhões. O resultado, segundo a empresa, se deve principalmente ao aumento de receita de passageiros no mercado doméstico e com franquia e excesso de bagagem na comparação com igual período no ano passado, com aumento dos RPK em 6,4% para 10,625 milhões no período que vai de janeiro a março. As receitas com transporte de cargas e outros representaram R$ 177,3 milhões no período, aumento de 7,2% em comparação anual.

Fonte: Metrópoles