Brasil

Mãe de Henry Borel não é aceita por detentas e ficará isolada

Foto: Reprodução/TV Globo

Monique Medeiros, mãe do menino Henry Borel, deverá permanecer em isolamento na cadeia mesmo após cumprir a quarentena de 14 dias, em obediência ao protocolo de Covid. Com informações do G1.

O RJ1 apurou que Monique não foi bem aceita pelas outras detentas no Instituto Penal Ismael Sirieiro, em Niterói.

A Polícia Civil vai indiciar Monique e o vereador carioca Dr. Jairinho, padrasto de Henry, por homicídio duplamente qualificado e tortura. O casal foi preso nesta quinta-feira (8), dentro das investigações da morte do menino.

Eles negam o crime e dizem que não há nada a ser escondido. O RJ1 recebeu imagens da cela onde a professora e ex-assistente do Tribunal de Contas do Município está.

O espaço, de seis metros quadrados, tem um beliche com colchonetes, onde podem ser guardados produtos de higiene. Em uma das laterais há uma pia, um vaso sanitário e um chuveiro de água fria.

Já Dr. Jairinho está preso em Bangu 8, onde também estão políticos condenados por corrupção. O vereador vai passar 14 dias afastado para seguir o protocolo de prevenção à Covid.

Não havia informações se Jairinho dividiria cela com outro preso ao fim desse prazo ou se se também ficaria em isolamento.

 

Deixe um comentário