Mãe perde a guarda da filha após ritual de candomblé ser denunciado pela avó

foto: reprodução

Uma mãe perdeu a guarda da filha de 12 anos após a menina passar por um ritual de candomblé, em Araçatuba, no interior de São Paulo. De acordo com o  UOL, a denúncia partiu da avó da adolescente, que é evangélica. No ritual de iniciação, a jovem teve a cabeça raspada e teria também que tomar banhos de ervas, durante um período de 21 dias.

A ação que mudou a guarda da adolescente partiu do Conselho Tutelar da cidade, que teria recebido denúncias de abuso sexual e maus-tratos, sendo uma delas, da avó, no último dia 23 de julho. Os conselheiros acompanhados de policias militares foram até o terreiro, onde localizaram a menina e a mãe, sendo as duas conduzidas até a delegacia.

Apesar do caso seguir em segredo de Justiça, consta que menina teria alegado aos policiais que estava participando do ritual por livre e espontânea vontade, se tornando filha de iemanjá e não estava sofrendo maus-tratos.

A mãe também revelou para reportagem que sempre foi o sonho da filha entrar para o candomblé. Mãe e filha foram levadas para Instituto Médico Legal (IML) para realizar exame de corpo e delito, mas não foram achadas nenhuma lesão a garota, apenas a cabeça raspada e depois foram liberadas.

Mesmo assim, as denúncias continuaram por, até chegar na Justiça, e mãe perder a guarda da filha. A mãe acredita que esteja sofrendo perseguição de intolerância religiosa, e já recorreu para reverter a decisão. Ela deve ser ouvida por um juiz sobre o caso. A mãe consegue falar com a filha apenas pelo celular, e nas visitas, podem ser ver por apenas 5 minutos.

Para a reportagem, a mãe revelou que a filha liga de dez em dez minutos, chora bastante e pede para voltar para casa. Recentemente a filha teria pedido para ver a mãe, mas o pedido negado, e a garota acabou fugindo da casa da avó, mas acabou sendo resgatada por uma viatura, em uma praça nas proximidades e levada para casa.

Portal Manaus Alerta