Mãe ‘ressuscita’ após ter parada cardíaca e dar à luz sem sinais vitais

Caso é considerado raro e ocorre a cada 30 mil nascimentos- foto: reprodução/TV Globo

Michele Santiago foi protagonista de um casa raro que ocorre em torno de um para cada 30 mil nascimentos. Ela sofreu uma parada cardíaca momentos antes de dar à luz. Os médicos realizaram o parto da bebê, batizada de Maisa, enquanto a mãe estava sem sinais vitais. A criança chegou a nascer em morte aparente.

Em entrevista à TV Globo, a mãe lembrou que começou a passar mal ainda no pré-parto. “Comecei a sentir um ‘queimor’ em cima de mim e minha respiração faltando. Eu gritava que estava com falta de ar. Foi quando veio uma agonia. Eu virei para o lado e vomitei. Apaguei. Aí eu não lembro de mais nada”, diz.

Ao G1, o obstetra que fez o parto explicou o caso. “Em geral, esse procedimento é realizado numa situação de guerra, com o que tiver, pega-se bisturi e opera do jeito que der. O hospital parou. De repente eu me vi numa sala de pré-parto com tudo que eu precisava pra operar. Fizemos a cesariana de urgência. Tiramos o bebê em situação de morte aparente, mas logo no primeiro minuto ele já respondeu a uma ventilação por oxigênio, e no quinto minuto já tinha se recuperado. Eu escutei o choro do bebê. Naquele momento a equipe se contagiou de alegria”, contou Gláucius Nascimento.

Gláucius notou o ritmo cardíaco da mãe enquanto fechava o útero. “Foi aí que foi possível realizar um procedimento chamado cardioversão, comumente chamado de choque. Quando os médicos fizeram o choque, ela retornou para o ritmo cardíaco regular”, lembrou. O caso de Michele aconteceu há um mês, exatamente no dia 6 de janeiro de 2017.

Com informações do Notícias ao Minuto