Mais de 3,8 mil estudantes com deficiência estão matriculados nas escolas da rede pública

Todas as 599 escolas da rede pública estadual estão aptas a receber alunos com deficiência- foto: Eduardo Cavalcante

Um total de 3.890 estudantes com múltiplas deficiências está matriculado nas escolas da rede pública estadual de ensino neste ano de 2018. Os alunos estão matriculados tanto em escolas de atendimento específico quanto em unidades de ensino de educação inclusiva na capital e no interior do Estado. Os dados foram levantados pela Gerência de Atendimento Educacional Específico da Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino (SEDUC).

De acordo com o levantamento, somente nas escolas de atendimento específico estão matriculados 452 alunos neste ano. Desse total, 82 estão na Escola Estadual Augusto Carneiro, que atende alunos surdos e surdos-cegos; 50 alunos estão na escola Joana Rodrigues, cujo atendimento é direcionado a alunos cegos e com baixa visão; 160 na escola Diofanto Vieira, que atende estudantes com múltiplas deficiências; e outros 160 estão na escola Manoel Marçal, que também atende estudantes com múltiplas deficiências.

Somadas a essas quatro unidades, a SEDUC conta ainda com a Escola Estadual de Atendimento Específico Mayara Redman Abdel Aziz, que funciona como um centro de atendimento a alunos com diversos tipos de deficiências.

Inclusão

Além das unidades de atendimento específico, as escolas de ensino convencional também atendem estudantes com deficiência, favorecendo a inclusão social deles. Na capital e no interior, 3.438 estudantes com deficiência estão inclusos nas escolas da rede estadual.

Somente na capital, 1.568 alunos com deficiência estão matriculados em 214 unidades de ensino da rede estadual. No interior, o número de alunos com deficiência inclusos nas escolas chega a 1.870, matriculados em 273 escolas.

Ações

Para realizar o atendimento de alunos com deficiência nas escolas de atendimento específico e nas unidades de ensino inclusivas, a SEDUC dispõe de algumas ações, entre elas a formação continuada de professores que atuam diretamente com esses estudantes.

As escolas inclusivas contam ainda com salas de recursos multifuncionais, que são espaços pedagógicos de apoio ao aluno com deficiência regularmente matriculado, além de programas como “Escola Acessível”, que disponibiliza de recurso federal para acessibilidade às escolas que recebem esses estudantes.

Atendimento

De acordo com o gerente de Atendimento Educacional Específico da SEDUC, Marcos Alcântara, o público-alvo da educação especial nas escolas públicas estaduais do Amazonas compreende três grupos específicos: alunos que possuem transtornos globais de desenvolvimento; múltiplas deficiências (física, mental, etc); altas habilidades e superdotação.

Segundo o gerente, todas as escolas da rede podem receber alunos com deficiência. “Todas as 599 escolas da rede pública estadual estão aptas a receber alunos com deficiência”, informou.

Alcântara frisou ainda que a SEDUC recomenda aos pais que tenham interesse em matricular os filhos em alguma escola da rede, que procurem a Gerência de Atendimento Educacional Específico, na sede da Secretaria, localizada na rua Waldomiro Lustoza, 250, Japiim 2, Zona Sul de Manaus, para que seja feita uma avaliação e o aluno seja encaminhado para uma unidade de ensino que melhor possa atendê-lo.

Outro ponto a ser destacado é que para matricular o aluno com deficiência em uma escola da rede, não é necessário que os pais apresentem um laudo médico. O documento poderá ser apresentado, caso os pais já tenham, apenas para facilitar a avaliação e o encaminhamento para uma escola específica.

Com informações da assessoria