Foto: Divulgação/FCecon

Em alusão ao movimento mundial Outubro Rosa e para agilizar o diagnóstico de lesões suspeitas, a Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon) realiza, nesta quinta-feira (24), às 7h, um mutirão de setorectomia – cirurgia para o diagnóstico de lesões suspeitas de câncer de mama. A ação será conduzida pelo serviço de Mastologia e atenderá nove mulheres.

A FCecon vai mobilizar uma equipe de profissionais de saúde formada por quatro médicos mastologistas, seis anestesistas, três enfermeiros e seis técnicos de enfermagem. O procedimento de diagnóstico ocorrerá no Centro Cirúrgico, onde cinco salas funcionarão simultaneamente. Cada cirurgia dura em média uma hora, assim, a expectativa é que as cirurgias sejam concluídas até o final da manhã.

Reunião de Acolhimento

As pacientes submetidas ao procedimento de diagnóstico passaram pela “Reunião de Acolhimento” do serviço de Mastologia, que acontece às sextas-feiras, no auditório Dr. João Batista Baldino, localizado nas dependências da unidade hospitalar. Na ocasião, foram orientadas pelos profissionais dos serviços de Psicologia, Serviço Social, Fisioterapia e pela Enfermeira Navegadora, além de médicos.

Natural de Parintins, a técnica de enfermagem Ângela Maria Magalhães, de 42 anos, disse que a “Reunião de Acolhimento” foi importante para tirar dúvidas e tranquilizá-la sobre o procedimento que será realizado. “Também gostei da ideia do mutirão, pois permite que tenhamos o diagnóstico mais rápido. Todos os profissionais da Fundação estão de parabéns, principalmente os do Serviço Social, pela atenção e dedicação no atendimento prestado”, frisou.

Tratamento

Ângela Maria conta que há oito meses iniciou o tratamento na FCecon, o qual tem contado com o apoio da família. A paciente disse acreditar que tudo transcorrerá de forma segura, uma vez que ainda não há nada definitivo sobre a lesão encontrada no seio. “Tenho fé que tudo dará certo”, salientou.

Setorectomia

A chefe do serviço de Mastologia/FCecon, Hilka Espírito Santo, disse que esse tipo de cirurgia é indicado nos casos de lesões mamárias não palpáveis. Ela explicou que as mulheres, na véspera da cirurgia, são internadas para a marcação pré-cirúrgica, ou seja, para localização exata da lesão.

“A localização da lesão é feita por meio de ultrassonografia e mamografia. No dia da cirurgia, iremos fazer a ressecção da lesão guiada pelo fio da marcação e encaminhar o material biológico para biópsia. O procedimento de marcação facilita a escolha apropriada da incisão cirúrgica e a menor retirada do tecido mamário”, informou Espírito Santo.

Com informações da assessoria