Manaus permanece em médio risco de transmissão de doenças pelo Aedes Aegypti

Para receber o repelente, o secretário recomenda que a gestante procure obter informações diretamente na Unidade de Saúde onde realiza o pré-natal.

A Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) divulgou ontem (3) o resultado do diagnóstico da Infestação de Aedes aegypti, realizado em Manaus no período de 23 de janeiro a 10 de fevereiro.

De acordo com o diagnóstico, o município de Manaus registrou um índice de infestação de 2,6, permanecendo em médio risco para as doenças transmitidas pelo Aedes (dengue, zika vírus e febre chikungunya).

A realização do levantamento é uma das estratégias da Prefeitura de Manaus para combater o mosquito Aedes aegypti, tendo o objetivo de levantar informações sobre o índice de infestação em cada localidade da capital.

Para o combate ao mosquito, a Semsa mobilizou 300 profissionais para a realização do diagnóstico. O grupo visitou 29.808 imóveis, buscando identificar focos do mosquito em forma de larvas, eliminando e tratando possíveis criadouros.

No ano passado, o índice de infestação nesse mesmo período do ano foi de 1,8, sendo que o médio risco compreende valores entre 1,0 e 3,9. O resultado do levantamento realizado neste ano sofreu influência significativa das características ambientais e pluviométricas.

O ano de 2016 apresentou uma situação atípica relacionada às chuvas, que foram menos intensas para o período, enquanto em 2017 o acúmulo mensal de chuvas tem sido bem acima da média prevista. E a maior quantidade de chuvas tem impacto direto no aumento de possíveis focos do mosquito.

Com informações da assessoria