Cidades

Maternidade Balbina Mestrinho renova selo de ‘Hospital Amigo da Criança’

A Balbina Mestrinho é uma das seis maternidades do Governo do Estado que têm a certificação- foto: divulgação/Susam
Redação
Postado por Redação

Após avaliação do Ministério da Saúde, a maternidade estadual Balbina Mestrinho manteve a certificação de “Hospital Amigo da Criança”. A Iniciativa Hospital Amigo da Criança (IHAC) foi idealizada em 1990 pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) para promover, proteger e apoiar o aleitamento materno.

A Balbina Mestrinho é uma das seis maternidades do Governo do Estado que têm a certificação. Para manter a certificação, as maternidades passam por avaliações periódicas. A Balbina Mestrinho recebeu técnicas do Ministério da Saúde nos dias 4 e 5 deste mês. Para manter o título de “Hospital Amigo da Criança”, as unidades de saúde devem seguir uma série de procedimentos estabelecidos em um documento chamado “Dez Passos para o Sucesso do Aleitamento Materno”.

Entre os dez passos estão a elaboração de uma norma (escrita) sobre aleitamento materno, que deve ser rotineiramente transmitida à equipe da maternidade. Treinamento de todo o pessoal para a implementação dessa norma, e informar todas as gestantes atendidas sobre as vantagens da amamentação.

Na avaliação, a equipe técnica do Ministério da Saúde avalia ainda a estrutura física das maternidades, entrevistando servidores, gestantes e seus acompanhantes.

Rede Cegonha

Além de Amiga da Criança, a Balbina Mestrinho é uma das seis maternidades de todo o Brasil a integrar a “Rede Cegonha”, que é uma estratégia do Ministério da Saúde focada em assegurar às mulheres o direito ao planejamento reprodutivo e a atenção humanizada à gravidez, ao parto e ao puerpério, bem como assegurar às crianças o direito ao nascimento seguro e ao crescimento e desenvolvimento saudáveis.

Além da Balbina Mestrinho, serão reavaliadas pelo Ministério da Saúde esse mês as maternidades Nazira Daou, Alvorada, Ana Braga, Azilda Marreiro e o Instituto da Mulher Dona Lindú (IMDL). A certificação permite que o Estado acesse recursos especiais junto ao governo federal.

Dez passos para ser ‘amigo da criança’

1 – Ter uma norma escrita sobre aleitamento materno, que deve ser rotineiramente transmitida a toda a equipe do serviço.
2 – Treinar toda a equipe, capacitando-a para implementar essa norma.
3 – Informar todas as gestantes atendidas sobre as vantagens e o manejo da amamentação.
4 – Ajudar a mãe a iniciar a amamentação na primeira meia hora após o parto.
5 – Mostrar às mães como amamentar e como manter a lactação, mesmo se vierem a ser separadas de seus filhos.
6 – Não dar a recém-nascido nenhum outro alimento ou bebida além do leite materno, a não ser que tenha indicação clínica.
7 – Praticar o alojamento conjunto – permitir que mães e bebês permaneçam juntos 24 horas por dia.
8 – Encorajar a amamentação sob livre demanda.
9 – Não dar bicos artificiais ou chupetas a crianças amamentadas.
10 – Encorajar o estabelecimento de grupos de apoio à amamentação, para onde as mães devem ser encaminhadas por ocasião da alta hospitalar.

Com informações da assessoria

Comentários

Deixe um comentário