Maternidades iniciam programação em alusão ao mês da prematuridade

Foto: Divulgação/SES-AM

Em celebração ao Novembro Roxo, mês oficial de sensibilização sobre a prematuridade, as maternidades da rede estadual de Saúde estão realizando uma programação especial, com ações para promover e aumentar a conscientização a respeito dos desafios enfrentados pelos bebês prematuros e suas famílias.

Na maternidade Balbina Mestrinho, os prematuros internados na unidade vão receber toucas personalizadas e confeccionadas por uma enfermeira e três técnicas de enfermagem.

“Iniciamos a programação do Novembro Roxo com a entrega das toucas dos bebês que estão internados, e durante todo o mês vamos entregar para os que vão chegar”, contou a diretora da unidade Rafaela Farias, que adiantou ainda que a maternidade pretende confeccionar 400 toucas para o mês de novembro, mantendo a produção durante os demais meses do ano.

Na maternidade Ana Braga, na zona leste, a programação do Novembro Roxo iniciou com sensibilização em todos os setores da unidade e uma roda de conversa para pais e mães que possuem filhos internados em unidades neonatais.

A programação da unidade conta ainda com sensibilização do Método Canguru para profissionais das áreas de apoio, sessão fotográfica Newborn para os bebês internados, esmaltação de unhas para as mães, rodas de conversas e homenagens às mães e bebês.

As maternidades Balbina Mestrinho e Ana Braga são referência em atendimento hospitalar nas especialidades de Obstetrícia e Neonatologia para Gestante de Alto Risco, e em casos de média e alta complexidade.

Ações desenvolvidas no Estado

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM), por meio da Coordenação Estadual da Saúde da Criança, desenvolve durante todo o ano ações de estratégia QualiNeo na rede materna infantil, para melhorar as práticas intersetoriais das redes especializadas e atenção primária, como Método Canguru e os Bancos de Leite Humano, além de capacitações e treinamentos dos profissionais que atuam na rede de assistência neonatal.

Para a coordenadora da Saúde da Criança, Rhamilly Karan Amud, mesmo com os desafios enfrentados devido a pandemia do novo coronavírus, o estado do Amazonas conseguiu manter as ações na rede.

“Mesmo com as limitações, por conta do distanciamento social, tivemos um ano produtivo, realizamos cerca de 30 reuniões este ano, para qualificar a assistência neonatal, nas quais foram discutidas ações como o transporte neonatal, reanimação neonatal, boa práticas ao parto nascimento, segurança do paciente e uso seguro de medicamentos, além de capacitações sobre o Método Canguru e os Bancos de Leite Humano”, elencou a coordenadora.

Ao todo, foram realizadas dez capacitações e 74 profissionais receberam certificação como tutores do Método Canguru na atenção hospitalar e atenção básica.

Método Canguru

É um procedimento aplicado em três etapas. A primeira ocorre quando o recém-nascido está na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), em uma incubadora. Na segunda etapa, o bebê passa a receber os cuidados dos profissionais e dos pais em uma Unidade de Cuidados Intermediários (UCI). Nessa fase, o contato da mãe e do pai com o recém-nascido é maior. Inclusive, a mãe pode até voltar a se internar na maternidade para poder cuidar do filho no restante do tratamento.

A última fase do Método Canguru ocorre já no ambulatório da maternidade, com retorno para consultas periódicas até que o bebê atinja o peso considerado ideal, que para o método são 2,5kg.

Prematuridade

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), 15 milhões de bebês nascem prematuramente a cada ano, dentre os quais cerca de 6,6% morrem devido a complicações do parto prematuro e muitos sobreviventes enfrentam uma vida inteira de desafios, incluindo dificuldades de aprendizagem e problemas visuais e auditivos.
A prematuridade é a principal causa de óbito em crianças menores de 5 anos e em populações de baixa renda. Metade dos bebês nascidos com menos de 32 semanas morre devido à falta de cuidados viáveis e econômicos, como calor, apoio à amamentação e cuidados básicos para infecções e dificuldades respiratórias.

Data comemorativa

O Dia Mundial da Prematuridade é comemorado em 17 de novembro e tem como objetivo alertar sobre o crescente número de partos prematuros e sobre como preveni-lo, informando sobre as consequências do nascimento antecipado para o bebê, para a família e para a sociedade.

Para 2020, o slogan do Novembro Roxo e do Dia Mundial da Prematuridade é “Juntos pelos prematuros, cuidando do futuro”, o tema foi definido pela rede mundial de ONGs que lutam pela causa da prematuridade.

A cor roxa é usada para simbolizar o mês por representar a sensibilidade e individualidade, particularidades dos bebês prematuros. Além disso, a cor roxa também significa transformação.

As informações são da assessoria