MATERIAL CEDIDO AO METRÓPOLES

Um homem de 39 anos foi preso, na tarde de sexta-feira (14/02/2020), acusado de maltratar a própria mãe, de 74 anos, em Planaltina. Policiais da 16ª DP foram ao local após receberem denúncia anônima.

Eles constataram que a mulher era mantida em um cômodo escuro, deitada em um colchonete, apenas de fralda geriátrica, com água e comida servidos em potes e em um ambiente sujo.

Havia vômito espalhado pelo local, inclusive no copo da mulher. Diante da condição desumana em que a vítima era mantida, o filho foi preso e enquadrado na Lei Maria da Penha.

O Corpo de Bombeiros foi acionado e prestou socorro à vítima. A mulher ficou internada no hospital devido ao seu estado debilitado de saúde e desnutrição. O serviço social da unidade de saúde acompanha o caso.

“Ele (o filho) alegou que cuidava bem da mãe e que ela se machucava e derrubava a comida sozinha”, disse o delegado Diogo Cavalcanti, da 16ªDP.

Em janeiro deste ano, uma mulher foi presa também acusada de maltratar a própria mãe. A servidora aposentada da Secretaria de Educação Leila Maria Marçal foi encontrada pelos investigadores em sua residência, em Taguatinga Sul. Ela estava desnutrida, sem dentes e com várias feridas pelo corpo. Um dos machucados, nas costas, deixava o pulmão da mulher à mostra, de tão profundo.

Ela acabou morrendo. A situação em que se encontrava a idosa chocou os policiais civis que foram ao local e prenderam a filha dela. “Eles descreveram Leila como um cadáver vivo. Ela estava se desintegrando, uma situação deplorável”, disse a chefe da Delegacia Especial de Repressão aos Crimes por Discriminação Racial, Religiosa, por Orientação Sexual ou contra a Pessoa Idosa e com Deficiência (Decrin), Ângela Maria dos Santos.

Flávia Cristina Marçal, filha de Leila, foi solta após pagar fiança de R$ 2,5 mil.

As informações são do site Metrópoles, parceiro do Manaus Alerta