Cidades

Melo defende desenvolvimento socioeconômico da Amazônia Legal durante Fórum no Amapá

No segundo dia, o evento contou com a presença dos governadores do Acre, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins e Amapá, o anfitrião- foto: Joeal Arthus/Secom
Redação
Postado por Redação

Um dos principais porta-vozes do grupo de gestores da região Norte, o governador José Melo teve o desenvolvimento socioeconômico da região como a sua principal bandeira durante o 13º Fórum de Governadores da Amazônia Legal, que aconteceu no Macapá (AP), tendo iniciado na quinta-feira (26) e encerrado nesta sexta-feira (27).

“Eu defendo uma matriz com dois pilares, uma de combate ao tráfico e outra baseada em desenvolvimento sustentável. Trabalhar de forma integrada, com estados e administrações que possuem as mesmas peculiaridades que as nossas, trocando conhecimentos e experiências nas mais diversas áreas como saúde, educação e economia é a melhor forma de começarmos a desenvolver a Amazônia, principalmente de forma socioeconômica”, afirmou Melo.

No primeiro dia, o Fórum foi sede do encontro de secretários de Estado de diversas pastas como Meio Ambiente, Saúde, Segurança e Educação, quando foram criadas propostas de desenvolvimento da região que serão levadas a Brasília (DF). No segundo dia, o evento contou com a presença dos governadores do Acre, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins e Amapá, o anfitrião.

Tendo recentemente anunciado o investimento de R$ 450 milhões para a Matriz Econômica Ambiental, que vai potencializar o uso econômico e sustentável dos recursos naturais do Amazonas, o governador disse que há iniciativas semelhantes nos estados vizinhos e que elas irão se complementar.

Para o governador José Melo, juntos, os gestores estaduais têm a missão de convencer a união a apoiar as inciativas que vão contribuir para a exploração dessas riquezas, porém sem tornar o Estado dependente. “O plano para as nossas regiões deve partir de nós. O apoio do Governo Federal é importante, mas nós devemos tomar a frente dessas medidas”, disse.

Com informações da assessoria

Comentários

comentários




Deixe um comentário