A mãe do menino só podia assistir e gritar quando seu filho foi assassinado.

Zakaria Al-Jaber foi supostamente abordado com sua mãe enquanto eles visitavam um santuário para o profeta Maomé em Medina, Arábia Saudita, e perguntavam se eles eram muçulmanos xiitas. Depois que a mãe disse que sim, um táxi parou ao lado deles e o filho dela foi roubado, dizem os relatórios.

Ele foi então decapitado com um “pedaço de vidro” por ser o “ramo errado do Islã “. A mãe desmaiou ao assistir a decapitação de sua criancinha. Uma foto de Zakaria com a cabeça cortada surgiu e deixou os ativistas em fúria.

A campanha #JusticeforZakaria está crescendo nas mídias sociais. “Caixões menores são os mais pesados”, escreveu um usuário do Twitter. Outro chamou o assassinato de “bárbaro”. A hashtag já foi compartilhada amplamente online.

Falando do momento horrível do ataque, uma fonte disse: “O taxista então quebrou uma garrafa para obter um pedaço de vidro, que ele usou para cortar a garganta da criança e esfaqueá-lo”.

Shia Rights Watch, um grupo de campanha de Washington, disse: “Não houve intervenção de ninguém e nenhuma resposta da autoridade até agora.

A mãe do menino só podia assistir e gritar quando seu filho foi assassinado.

Grupos de direitos humanos dizem que praticantes de outras formas de fé – incluindo xiitas – são perseguidos.

Via: MCeará

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here