Militares levam kits de alimentos e higiene para comunidades indígenas da Amazônia

Manaus Alerta
Postado por Manaus Alerta

As Forças Armadas têm usado a capacidade logística e a prontidão de seus integrantes para levar alimentos para todos os cantos do país. Na terça-feira (2), militares transportaram gêneros alimentícios às comunidades indígenas localizadas na Terra Yanomani. As comunidades ficam próximas aos Pelotões Especiais de Fronteira (PEF) Surucucu e Auaris, em Roraima.

Em Tabatinga (AM), militares da equipe de saúde realizaram ação cívico social com indígenas da etnia Tikuna, do Alto Solimões. Foram realizadas ações de promoção da saúde, incluindo distribuição de kits de higiene oral, com escova, pasta de dente e fio dental.

“Nós sabemos que podemos contar com o Hospital do Exército em Tabatinga, para cuidar dos doentes mais graves. Essa parceria é antiga e muito importante nesse momento”, relatou o enfermeiro Valcimar, profissional do DSEI Alto Rio Solimões – Polo Base Umariaçu II.

No Comando Conjunto Leste, militares organizam, triam e preparam kits com alimentos não perecíveis. Os mantimentos são arrecadados e distribuídos pelo SESC Madureira, na zona norte do Rio de Janeiro. As ações continuarão até 12 de junho e os gêneros alimentícios serão destinados à população em situação de vulnerabilidade.

As Forças Armadas também intensificam as inspeções navais para evitar a proliferação do novo coronavírus. A pedido do Tribunal de Justiça do Amazonas, o Navio-Patrulha Fluvial “Amapá” fiscaliza embarcações pelo Rio Jarupá. A localização geográfica do município, de mesmo nome do rio, depende exclusivamente dos meios de transporte fluviais e o fluxo de embarcações de transporte de pessoas é um dos fatores que podem aumentar a contaminação na localidade.

O Sistema Colégio Militar também entrou nas ações de combate ao novo coronavírus. Em Campo Grande (MS), militares da unidade de ensino participam de campanha de doação de sangue no Hemosul. A ação contribui para abastecer os hemocentros que estão com estoques baixos.

Em Porto Alegre (RS), os alunos do Colégio Militar arrecadaram mais de três toneladas de alimentos, que foram doados para a Associação Beneficente Cristã Emanuel e para a Casa do Menino Jesus de Praga. A campanha foi promovida pela Legião de Honra e Sociedade Esportiva e Literária. Ainda na Região Sul, militares do Comando Conjunto que coordena ações no Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, promovem Campanha Solidária para arrecadação de donativos. Em Uruguaiana(RS), 20 militares realizaram também a doação de sangue na Santa Casa de Misericórdia.

Já os militares do Pelotão Especial de Fronteira de Palmarito, em Cáceres, Mato Grosso, estão sendo imunizados contra gripe H1N1 ou influenza A. Em tempos de pandemia, a proteção dos militares que atuam nos pelotões mais distantes e nas Bases de Operações torna-se prioridade para manter a saúde e a operacionalidade da tropa para servir a população local.

O Instituto de Pesquisas da Marinha produziu e entregou 225 litros de solução sanitizante ao Centro de Pesquisas e Caracterização de Petróleo e Combustíveis, laboratório vinculado à Universidade Federal do Rio de Janeiro. O material corresponde ao primeiro lote de volume total de 1,2 mil litros que serão produzidos. A iniciativa contribui para a preservação da saúde da sociedade e de sua força de trabalho.

No Comando Conjunto Planalto, militares promoveram a capacitação de funcionários e descontaminação do Instituto Integridade. Já no Comando Conjunto Rio Grande do Norte e Paraíba, foi desinfectado o Tribunal Regional do Trabalho. A ação de desinfecção ocorreu em horário reservado, sem a concentração de pessoas no local, para a aplicação dos produtos químicos de forma segura.


Operação COVID-19

O Ministério da Defesa ativou, em 20 de março, o Centro de Operações Conjuntas, para atuar na coordenação e no planejamento do emprego das Forças Armadas no combate à COVID-19. Nesse contexto, foram ativados dez Comandos Conjuntos, que cobrem todo o território nacional, além do Comando Aeroespacial (COMAE), de funcionamento permanente. A iniciativa integra o esforço do governo federal no enfrentamento à pandemia que recebeu o nome de Operação COVID-19.

As demandas recebidas pelo Ministério da Defesa, de apoio a órgãos estaduais, municipais e outros, são analisadas e direcionadas aos Comandos Conjuntos para avaliarem a possibilidade de atendimento. De acordo com a complexidade da solicitação, tais demandas poderão ser encaminhadas ao Gabinete de Crise, que determinará a melhor forma de atendimento.

Amanhã, na terceira e última parte da série, o leitor acompanha o trabalho desenvolvido na Aeronáutica.

Com informações do site defesa.gov