Cidades

Moradores da Cidade Nova são beneficiados com expansão da rede de esgoto

Atualmente a capacidade da estação corresponde a 110 litros por segundo. Com a expansão da primeira fase, esse número subirá para 230 litros por segundo.
Redação
Postado por Redação

O processo de expansão da rede de tratamento de esgoto feito pela Manaus Ambiental na capital amazonense chegou ao igarapé da rua Timbiras, no bairro Cidade Nova, Zona Norte da capital. As obras de melhoria nos serviços seguem em ritmo acelerado e a previsão é de que a ampliação da estação de tratamento, ou seja, grande parte dos 29,55 quilômetros de rede coletora, com oito elevatórias (formadas por um conjunto de motor e bomba) e 7,04 quilômetros de linha de recalque – que possibilita o transporte dos afluentes de um determinado ponto a outro – sejam entregues à população pela concessionária até o fim deste ano.

A expectativa é de que o início da ampliação do tratamento de esgoto naquela área da cidade comece a partir do fim de outubro, com as primeiras redes já implantadas. Atualmente a capacidade da estação corresponde a 110 litros por segundo. Com a expansão da primeira fase, esse número subirá para 230 litros por segundo.

Benefício

A Estação de Coleta e Tratamento de Esgoto da Timbiras (ETE/Timbiras) beneficiará diretamente os moradores das etapas 1 e 2 da Cidade Nova, com 95% dos serviços dessa primeira fase concluídos até dezembro. Os recursos são do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

O cronograma abrange serviços de extensão e substituição da rede coletora de esgoto; construção e ampliação de estação elevatória de esgoto e linha de bombeamento; construção e ampliação de estações de tratamento de esgoto.

O objetivo é incentivar os comunitários a aderir ao sistema, interligando a residência à rede de coleta e, preservando, dessa forma, o leito do próprio igarapé da Timbiras. A construção de um ramal interno do imóvel é de extrema importância para a saúde e higiene dessas famílias.

Com a medida, a Manaus Ambiental cumpre o que determina o Código Sanitário de Manaus, que estabelece em seu artigo 14, § 2º, que onde houver redes públicas de água ou esgoto, em condições de atendimento, as edificações novas ou já existentes serão, obrigatoriamente, a elas ligadas e por elas respectivamente abastecidas ou esgotadas.

Atualmente, o serviço já está disponível para atendimento em quase 20% da população manauara, o equivalente a quase 400 mil habitantes. A Manaus Ambiental trabalha para alcançar uma média de 200 mil pessoas, que ainda não aderiram ao sistema, mesmo tendo a rede de coleta disponível em frente às residências.

Conscientização

Simultaneamente à obra, a Manaus Ambiental realiza um trabalho de conscientização (porta a porta), junto aos moradores, para esclarecer a necessidade de execução dos trabalhados e solicitar a compreensão de todos pelos possíveis transtornos provocados, principalmente por conta da interdição temporária das vias de tráfego.

A ação é feita tanto nas casas quanto nas escolas, inclusive, com a entrega de folhetos informativos relacionados ao assunto.

Obrigatória

A ligação à rede de esgoto é obrigatória em locais onde já existem redes de esgoto disponíveis, conforme a Lei Federal 11.445 e o Código de Postura do Município, formado pela Lei 392/97. Ao ligar o imóvel à rede de esgoto, o cidadão que possui fossa séptica deve esgotá-la e aterrá-la, com a execução do novo procedimento.

Com informações da assessoria

Comentários

comentários


Deixe um comentário