Motorista de aplicativo é preso após ameaçar ex-companheira de morte, em Manaus

Delegacia da Mulher - Foto: Divulgação/SSP-AM

Policiais civis da Delegacia Especializada em Crimes contra a Mulher (DECCM) cumpriram, na manhã desta terça-feira (27), às 10h40, mandado de prisão preventiva por violência doméstica e ameaça, em nome de um motorista de aplicativo de transporte privado urbano, de 22 anos, que ameaçou de morte, com uma faca, a ex-companheira dele, uma jovem de 19 anos. O crime ocorreu no último domingo (25), por volta das 15h, na avenida Coronel Teixeira, bairro Ponta Negra, zona oeste da capital.

Segundo Débora Mafra, titular da especializada, no dia do delito, a jovem entrou no carro do ex-companheiro para ir buscar o filho deles, uma criança de 3 anos, que estaria na casa da avó paterna, situada no bairro Lírio do Vale, zona oeste da cidade. Segundo a delegada, durante o trajeto, o infrator, em posse de uma faca, deu início às ameaças, dizendo que não aceitava o término do relacionamento e, também, o fato da jovem sair com as amigas dela.

“Durante a ação, o indivíduo comentou que estava levando a vítima para um ramal. A jovem com muito medo das ameaças, em atitude desesperada pulou do veículo, no momento em que ele trafegava pela avenida Coronel Teixeira. Ressalto que a separação deles ocorreu há três meses. Em depoimento, ela afirmou que sofria maus tratos quando ele bebia e ficava agressivo”, explicou Mafra.

Conforme a titular da DECCM, no dia 5 deste mês, a vítima registrou um Boletim de Ocorrência (BO), contra o ex-companheiro, por lesão corporal. A ordem judicial em nome do jovem foi expedida nessa segunda-feira (26/08), pela juíza Eulinete Melo Silva Tribuzy, no Plantão Criminal. A prisão dele foi efetuada no prédio da especializada, após o mesmo comparecer, espontaneamente, naquela unidade policial.

Indiciamento

O infrator foi indiciado por violência doméstica e ameaça. Ao termino dos procedimentos cabíveis no prédio da especializada, ele será encaminhado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde irá permanecer à disposição da Justiça.

*Com informações da assessoria