Polícia

Motorista de aplicativo é preso por estupro cometido contra adolescente de 12 anos

Foto: Divulgação/ PC-AM

A Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), por meio da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), deflagrou ação policial nesta terça-feira (19/10), por volta das 10h, que resultou na prisão de um motorista de aplicativo, 37, em cumprimento a mandado de prisão, em razão de sentença condenatória, pelo crime de estupro de vulnerável, contra uma adolescente de 12 anos. O crime ocorreu em 2014.

De acordo com a delegada Joyce Coelho, titular da Depca, na época do fato, o infrator fazia condução escolar de crianças para escolas municipais, localizadas ao longo da rodovia federal BR-174.

“Na ocasião do delito, a vítima estava em um ponto de ônibus, aguardando a chegada do transporte coletivo, momento em que o homem chegou e disse que ela precisava retornar com ele até a escola, porque a professora tinha um assunto para tratar com ela”, comentou a delegada.

Ainda segundo a titular da Depca, a adolescente confiou na palavra do indivíduo e entrou no veículo. Ao perceber que ele estava desviando do caminho de volta para escola, a vítima tentou sair, porém, o infrator acionou as travas das portas, estacionou o ônibus em local deserto e cometeu o ato criminoso.

“A vítima, na companhia de sua mãe, compareceu à unidade policial e relatou o fato. O indivíduo chegou a ser preso em 2014, porém, passou a responder em liberdade. Um mandado em razão de sentença condenatória em nome dele foi expedido no dia 23 de setembro deste ano, pela juíza Patrícia Chacon de Oliveira, da 1ª Vara Especializada em Crimes contra Dignidade Sexual de Crianças e Adolescentes”, informou Joyce.

Prisão

Com a ordem judicial decretada, os policiais iniciaram as diligências e efetuaram a prisão dele, nesta terça-feira, no bairro Redenção, zona centro-oeste da cidade. 

Procedimentos

O homem foi condenado a nove anos e quatro meses em regime fechado pelo crime de estupro de vulnerável. Ele será encaminhado à Central de Recebimento e Triagem (CRT), onde ficará à disposição da Justiça.

Com informações da assessoria