Mugabe renunciou por carta, diz presidente do Parlamento do Zimbábue

Robert Mugabe cumpre prisão domiciliar (Foto: Jekesai Njikizana/AFP)

O presidente do Parlamento do Zimbábue disse nesta terça-feira que Robert Mugabe, líder do país há 37 anos, renunciou através de uma carta. A Assembleia Nacional do país se reunia para iniciar o processo de destituição do presidente Robert Mugabe nesta terça-feira. O anúncio veio enquanto os parlamentares debatiam uma moção de impeachment contra o chefe de Estado de 93 anos.

“Eu, Robert Mugabe, entrego formalmente minha demissão como presidente da República do Zimbábue com efeito imediato”, declarou o presidente do Parlamento, Jacob Mudenda, sob aplausos, lendo a carta de renúncia de Mugabe.

Mugabe vinha se recusando a renunciar desde a intervenção militar da semana passada, que o colocou em prisão domiciliar. Embora pouco tenha aparecido publicamente desde então e o seu partido o tenha removido do cargo de líder, ele mantinha sua resistência à destituição: prometeu governar durante as próximas semanas, quando haverá um congresso da sua legenda, Zanu-PF, e convocou uma reunião de Gabinete. Porém, os ministros de seu governo receberam instruções de boicotá-la e, ao invés de comparecer à reunião do presidente, foram à sede da legenda governista para trabalhar na impugnação do chefe de Estado.

Nesta terça-feira, os ex-aliados de Mugabe enviaram ao líder do Parlamento, Jacob Mudenda, uma moção de impeachment. Em resposta à moção, Mudenda disse que os parlamentares deveriam começar os procedimentos sobre a saída forçada do presidente ainda nesta tarde durante reunião em um hotel. A Constituição zimbabuana prevê que reuniões legislativas podem acontecer em qualquer lugar, e não apenas na sede oficial da Justiça. O impeachment deve ser votado por dois terços das duas Casas legislativas do país para ser aprovado.

Do lado de fora da Casa, manifestantes se reuniram para pedir a renúncia do presidente com cartazes, palavras de protesto e danças. Houve agitação, num momento de alta tensão e indefinição política. Mais cedo, o vice-presidente destituído pediu pela primeira vez a renúncia do chefe de Estado.

“Convido o presidente Mugabe a considerar os pedidos feitos pelo povo para sua renúncia de forma que o país possa avançar e preservar a herança do chefe de Estado”, declarou Mnangagwa em nota à imprensa.

Mnangagwa, conhecido como “Crocodilo”, é considerado o favorito para liderar a transição política.Ele foi destituído no dia 6 de novembro, por iniciativa da primeira-dama, Grace Mugabe, com quem competia para suceder o presidente. A expulsão do homem leal ao regime, herói da luta pela libertação do Zimbábue, provocou a intervenção das Forças Armadas, que controlam o país desde o dia 15 de novembro.

Fonte: O Globo