Mundo Saúde

Mulher perde as unhas dos pés após “fish pedicure”

Unhas Fish pedicure
Este é o primeiro caso conhecido de que a condição foi associada a um “fish pedicure”.
Redação.
Postado por Redação.

Quando uma jovem notou que suas unhas começaram a descolar dos dedos dos pés, ela foi ao médico e recebeu uma notícia surpreendente: o “fish pedicure” que ela havia recebido meses antes era a causa provável.

No “fish pedicure”, clientes mergulham os pés em uma bacia cheia de pequenos peixes chamados Garra rufa, às vezes apelidados como “peixes médicos”. Em seu habitat natural esses peixes ingerem plâncton, mas quando não há vida vegetal por perto, eles comem a pele humana, mordiscando calos e cutículas ásperas no que é considerado um tratamento de beleza “natural”.

Em um artigo publicado no JAMA Dermatology, a dermatologista da mulher, Dr. Shari Lipner, observa que o “fish pedicure” atingiu popularidade em torno de 10 anos atrás e ainda é uma tendência hoje.

“Sua atratividade provavelmente se deve a alegações infundadas de que o tratamento deixaria os pés mais suaves e frescos, aumentando a circulação, eliminando fungos e bactérias, e tratando a psoríase e o eczema”, escreve ela.

De acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças, no Oriente Médio, onde os peixes são nativos, Garra rufa tem sido usado como um tratamento para pessoas com doenças de pele como a psoríase. Um estudo descobriu que esse método é eficaz no tratamento da psoríase. No entanto, “este tratamento foi realizado em um ambiente controlado em uma universidade de medicina na Áustria, não em um salão de beleza”, alerta o CDC.

A paciente de Lipner foi até ela depois de sofrer por seis meses com problemas com as unhas dos pés. A mulher, com cerca de 20 anos, não havia relatado dor ou trauma anterior, nem problemas médicos, ou histórico de doenças graves.

Ela foi, no entanto, a um salão com “fish pedicure” alguns meses antes de perceber as anormalidades da unha.

Lipner diagnosticou a mulher com onicomadose, uma condição que ocorre quando as placas ungueais se separam, levando, em última análise, à descamação da unha.

Este é o primeiro caso conhecido de que a condição foi associada a um “fish pedicure”.

Embora o mecanismo que causou o onicomadismo do paciente não seja conhecido, Lipner acredita que “pode ​​ser devido ao trauma do peixe na matriz da unha ou no centro de crescimento da unha”.

Atenção mulheres: unhas de gel e postiças podem desenvolver câncer

No relatório, ela também observa outros potenciais riscos de segurança relacionados ao tratamento, incluindo a transmissão potencial de infecções, já que as banheiras e os peixes não podem ser adequadamente higienizados e os mesmos peixes são reutilizados para os clientes sucessivos.

Atualmente, mais de 10 estados dos EUA, incluindo a Flórida, proibiram o uso de “fish pedicures” por diversos motivos, de acordo com o CDC. Estes variam de preocupações sanitárias à crueldade contra os animais, uma vez que os peixes precisam passar fome para que comam a pele. O estudo não especificou em que estado o caso ocorreu.

Por isso, Lipner recomenda evitá-los.

“Como os riscos superam quaisquer benefícios conhecidos, aconselho meus pacientes a evitarem o ‘doutor peixe’ e, em vez disso, consultem um dermatologista certificada para doenças da pele e das unhas”, disse ela. Com informações da CBS.

Fonte: Gazeta News

Comentários

Deixe um comentário