Múmias egípcias de animais são ‘abertas’ por cientistas em imagens 3D

Foto: Foto: Swansea University

Cientistas no Reino Unido “abriram” e conseguiram mostrar, em imagens 3D, como seria o interior de três múmias de animais feitas no Egito Antigo, há mais de 2 mil anos. As animações foram feitas com uma tecnologia avançada de raio-X, que gera imagens com 100 vezes mais resolução que uma tomografia médica. As informações são do G1.

O resultado do esforço foi publicado nesta quinta-feira (20) na revista “Scientific Reports”, do grupo “Nature”, um dos mais importantes do mundo. Os pesquisadores são da Universidade de Swansea, no País de Gales. Para “enxergar” dentro das múmias, os cientistas usaram uma tecnologia chamada microtomografia computadorizada “(microCT, em inglês).

Pesquisas

Outras pesquisas já haviam conseguido apontar quais eram os animais dentro das mumificações, mas pouco mais se sabia sobre eles. Os artefatos são da coleção do Centro do Egito da universidade – os pesquisadores reconheceram, no estudo, os habitantes do Egito Antigo que fizeram as mumificações.

“Historicamente, a tomografia computadorizada médica foi usada, mas ela tem uma resolução muito inferior. É adequada para espécimes maiores, incluindo humanos mumificados, mas não revela detalhes suficientes para análises avançadas da maioria das múmias animais”, explicou Richard Johnson, líder do estudo.

“Usando o equipamento que temos, conseguimos ver dentro das múmias de animais pela primeira vez em três dimensões. Isso ajuda muito a separar os aspectos como a espécie, a idade, e como [o animal] morreu”, disse o cientista.