Na FCecon, grupo terapêutico ajuda na saúde mental do servidor

Foto: Rhyvia Araújo

Para ajudar servidores a lidar com as tensões da assistência ao paciente com câncer e de familiares, a Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas, órgão vinculado à Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM), realiza, nesta sexta-feira (06), às 14h, o grupo terapêutico “Cuidando do cuidador”, que reúne profissionais da Oncologia Clínica.

Em seu quarto encontro, o grupo terapêutico visa promover momentos de reflexão e relaxamento para a promoção da saúde mental do servidor. A iniciativa surgiu de uma demanda dos próprios funcionários, sendo coordenada pelo setor de Psicologia da unidade hospitalar e do Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho (SESMT).

Duas vezes ao mês, os funcionários do serviço de Oncologia Clínica se reúnem na sala de enfermagem para falar sobre seus sentimentos, emoções e pensamentos em relação ao atendimento prestado aos pacientes e ao serviço. O encontro tem uma hora de duração, e a intenção é que a iniciativa seja ampliada para outros setores do hospital.

Temas tratados

Segundo a gerente do serviço de Psicologia/FCecon, Maria Graciete Ribeiro, durante as sessões são tratados vários temas, por exemplo, estresse, trabalho em equipe, comunicação de notícias no serviço público, relação interpessoal etc. Ela destaca que os assuntos foram propostos pelos próprios servidores, o que tem contribuído para uma ótima receptividade.

A psicóloga do SESMT/FCecon, Jéssica Maia, pontua que o grupo reúne entre oito e sete pessoas, de forma a não interromper o andamento do serviço. “É um momento em que os servidores encontram alívio para a sobrecarga de trabalho e, assim, terem condições emocionais de dar suporte ao paciente com câncer. A assistência a esse tipo de paciente exige atendimento diferenciado e controle emocional maior”, explica psicóloga.

Cuidar do cuidador

Conforme a gerente do serviço de Oncologia Clínica, Poliana Signorini, o setor atende pacientes de várias especialidades. Segundo a médica oncologista, são pacientes e familiares que estão enfrentando as incertezas que vêm após a confirmação do diagnóstico de câncer. “Quem trabalha em contato direto com estes pacientes também sofre as pressões e tensões da assistência no cuidado”, lembra.

Diante deste sofrimento psíquico inerente ao trabalho, destaca a médica oncologista, a equipe de Psicologia está desenvolvendo um trabalho inédito na FCecon por meio das reuniões periódicas que têm cuidado do cuidador.

“Em pouco tempo já se nota entre os colaboradores uma maior capacidade de enfrentamento dos momentos de estresse e melhora da comunicação interna. As reuniões têm sido frutíferas, e isso certamente refletirá no atendimento prestado e na satisfação pessoal de cada funcionário do setor”, destaca Signorini.

As informações são da assessoria