“Não suporto bebês que choram”, diz babá que confessou ter matado três crianças

Reprodução/Metro.co.uk A babá matou três crianças entre 1980 e 1985, incluindo seu filho de apenas duas semanas de idade.

Até então, acreditava-se que os bebês tinham morrido de SIDS, uma síndrome inexplicável que mata duas mil crianças por ano nos EUA.

A babá Nancy Moronez, de 60 anos, está sendo acusada do assassinato de três bebês – incluindo seu filho de apenas duas semanas – entre os anos de 1980 e 1985. Segundo o portal Metro , a mulher confessou à sua filha, recentemente, ter sido responsável pelas mortes, que até então eram atribuídas à Síndrome de Morte Súbita Infantil, conhecida como SIDS.

Para as autoridades, a moradora de Milwaukee, importante cidade do estado americano de Wisconsin, revelou que matou os bebês “porque não consegue aguentar crianças que choram”. A primeira vítima foi o seu filho, que morreu em 1980 ao ser mergulhado em uma banheira. A babá explicou que ainda secou o corpo e o vestiu com fraldas e roupas antes de ligar para a emergência.

O segundo bebê foi um menino de seis meses de idade, que foi sufocado até a morte com um cobertor em 1984. A terceira vítima era uma menina de 11 semanas, que foi assassinada da mesma forma que o segundo bebê, dessa vez, em 1985.

A primeira sessão para julgar o caso que chocou o país aconteceu na última sexta-feira (23), mas o processo para indiciar a mulher por assassinato de segundo grau ainda não foi concluído.

Síndrome de Morte Súbita Infantil

De acordo com a Clínica Mayo, dos Estados Unidos, a síndrome pode ser definida como uma “morte inexplicável, normalmente durante o sono”, na qual um bebê aparentemente saudável, e com menos de um ano de idade, morre. No país, os índices da condição têm caído desde a década de 1990, graças a campanhas de conscientização.

Ainda assim, estima-se que cerca de dois mil bebês ainda morrem por SIDS todos os anos, uma questão que muito preocupa as autoridades justamente por casos como o da babá Moronez: pode ser difícil diferenciar um quadro da síndrome com mortes propositais.