No interior do Amazonas, dez pessoas são presas e armas são apreendidas

FOTO: Erlon Rodrigues/PC-AM

Em ações ostensivas da Polícia Militar do Amazonas (PMAM), nos municípios de Benjamin Constant, Rio Preto da Eva, Codajás, Manacapuru e Iranduba, nove pessoas foram detidas. As prisões ocorreram entre a tarde de segunda-feira (5) e a madrugada de hoje (6). Os suspeitos têm envolvimento com os crimes de tráfico de drogas, porte ilegal de arma de fogo e estupro.

Durante a ação, dois foragidos da justiça foram recapturados. Com os suspeitos, foram apreendidos 150 porções de entorpecentes, cinco armas de fogo, munições, uma balança de precisão, quatro celulares e dinheiro.

Após uma denúncia informando que havia ocorrido um crime de estupro em um ramal do munícipio de Rio Preto da Eva (distante 57 quilômetros da capital), um homem de 38 anos foi preso pela autoria do crime. De acordo com informações policiais, a vítima é uma mulher de 20 anos. Na ocasião do crime, uma arma tipo espingarda e três munições foram apreendidas. Ao ser levado para a delegacia do município, foi constatado que o suspeito era fugitivo do Centro de Detenção Provisório (CDP), onde cumpria pena pelos crimes de homicídio e estupro.

Com mandado de prisão em aberto, Francisco Aprígio da Silva Neto foi preso no município de Codajás (distante 240 quilômetros da capital), após os policiais receberem denúncia informando o paradeiro do homem. O suspeito foi preso na própria residência e levado para a Delegacia Interativa de Polícia (DIP).

Cinco suspeitos foram presos por envolvimento com o tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo no munícipio de Iranduba (distante 27 quilômetros da capital). Segundo a Polícia Militar, dois suspeitos foram abordados no bairro Novo Amanhecer, posteriormente, um casal amigo da dupla também foi preso. Em depoimento, os suspeitos informaram a localização de um comparsa, que foi preso em uma residência. Com ele, foram encontradas uma arma e munições. A ação resultou na apreensão de três armas de fogo, 18 munições, R$ 159 em espécie, 36 porções de entorpecentes, quatro celulares e uma balança de precisão.

Com informações da assessoria