Política

Nova administração de Amaturá-AM encontra licitações suspeitas

Redação.
Postado por Redação.

A administração do ex-prefeito do município de Amaturá, a 1047 km de Manaus, região do Alto Solimões, João Braga Dias, promoveu a partir do segundo semestre de 2016, sete licitações consideradas suspeitas pelo novo prefeito Joaquim Corado (PMDB), totalizando R$ 6.855.554,62, equivalente a 30 por cento do orçamento do município o exercício, estimado em R$ 22,7 milhões, dentre elas a compra de 190 pneus, 30 câmeras de ar e 20 baterias realizadas em julho de 2016 ao custo de R$ 316.405,00.
A compra suspeita se deve ao fato de a Prefeitura possuir apenas seis veículos, dos quais apenas quatro estão em funcionamento, aptos para trafegar nas 45 ruas existentes no município.

As compras consideradas suspeitas foram denunciadas à Procuradoria de Contas do Tribunal de Contas do Estado, pelo sucessor de João Braga, prefeito Joaquim Corado (PMDB) que tomou posse neste domingo, 1º. de janeiro.

Prefeito Joaquim Corado reunido com Conselheiros Municipais/Foto: Divulgação

“Nós vamos fazer uma completa auditoria e vamos apresentar ao povo. Ele precisa saber como foi gasto o dinheiro público”, afirmou o prefeito Joaquim Corado.

De acordo com a equipe de transição do novo Prefeito, não há registro de entrada de pneus, câmeras de ar e baterias na Prefeitura e tampouco recibos de entrega por parte da empresa “vencedora”, a L.E. Ramos ME.

As compras foram realizadas na modalidade licitatória de pregão presencial. Dentre as licitações suspeitas a do pregão 013/2016 no valor de R$ 1,8 milhão de reais para aquisição de material hidráulico.

Outra licitação suspeita de irregularidade foi a 009/2016 realizada em novembro para a compra de material químico cirúrgico no valor de um milhão de reais, sem que a equipe de transição do novo prefeito Joaquim Corado (PMDB) tenha recebido da gestão do ex-prefeito João Braga a comprovação de entrega dos itens assinalados no pregão.

Os pregões realizados pelo ex-prefeito no final de sua administração tiveram por objetivo a compra de pneus (R$ 316.405,00), material gráfico (R$232.992,20), material químico cirúrgico (R$ 1.023.753,75), material odontológico (R$ 394.122,50), material elétrico (R$ 408.672,90), material hidráulico (R$ 1.682.528,60), motores de popa, canoas de alumínio e acessórios (R$ 949.120,00), combustível e lubrificante (R$1.070.340,00) e material esportivo e de armarinho (R$ 777.619,67).

A compra de material esportivo e de armarinho realizada em novembro chama a atenção, já que não há registro de eventos esportivos ou sociais que justificassem a compra.

Comentários

comentários