Obra de construção do anel viário de Humaitá avança e gera expectativa de crescimento econômico

Foto: Divulgação/Seinfra

O Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Região Metropolitana de Manaus (Seinfra), está avançando com a obra do anel viário de Humaitá. Com o percentual de 36%, nesta fase, estão sendo executados os serviços de terraplenagem, que representa o alicerce da obra. No total, serão 11,58 quilômetros que interligarão Porto Velho, por meio da BR-319, ao porto graneleiro do município, reduzindo o trajeto que, até então, é realizado por dentro do perímetro urbano.

Com investimento de R$ 46.582.347,77, o anel viário de Humaitá, também chamado de ‘cinturão da soja’, dará́ maior agilidade ao escoamento da produção local até́ Itacoatiara.

O projeto prevê a construção de pistas de rolamento com 10 metros de plataforma, em mão dupla, 3,5 metros de largura cada uma delas e 1,5 metro de acostamento para cada lado, além da pavimentação e sinalização vertical e horizontal, seguindo o padrão Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), e a construção de uma ponte de 20 metros de extensão.

Benefícios

O anel viário, após conclusão da obra, dará mais rapidez ao escoamento da soja proveniente de Porto Velho e que hoje precisa passar por dentro da sede do município, de onde segue para Itacoatiara. Esse percurso será alterado, devendo os caminhões e carretas passarem por fora do perímetro urbano de Humaitá, seguindo para o porto graneleiro.

De acordo com o empresário Euclides Dobri Junior, presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Humaitá (CDL-Humaitá), a construção desse anel viário é um marco histórico para o município. Para o empresário, Humaitá é o primeiro município do interior a ter um anel viário e após conclusão, a obra irá possibilitar as instalações de novos empreendimentos na cidade, que está em franca expansão.

“O Anel viário não traz apenas uma nova opção de tráfego, ele traz junto com ele, a oportunidade de novos negócios se agregarem, como transportadoras, indústrias, comércios, prestadores de serviços, postos de gasolina, ou seja, uma série de negócios e investimentos que antes eram inviáveis e que agora, poderão gerar centenas de novos empregos no município”, destacou Euclides Dobri Junior.

O presidente da CDL acrescenta que a opção da trafegabilidade, por meio da construção do anel viário, é apenas um dos benefícios que o Governo do Amazonas está trazendo para Humaitá.

A cadeia produtiva do município, a economia geral, desde a plantação da soja à agropecuária e a indústria de criação de peixes serão beneficiadas com o crescimento dos empreendimentos já existentes e a chegada de outros investimentos, inclusive oriundos de Manaus.

“Toda essa movimentação significa a inserção definitiva do município no mapa econômico do estado e a geração de novos empregos, o que implica diretamente na melhoria da qualidade de vida da população local”, completou.

Com 55.080 habitantes, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) referentes a 2019, o município de Humaitá, distante 591 km de Manaus em linha reta, está situado na calha do rio Madeira, na região sul do Amazonas.

Com informações do Governo do Amazonas*