Oficina estimula memória e resgata o bem-estar de idosos no Centro de Convivência

Foto: Miguel Almeida/Secom

Situações que afetam a memória são naturais ao longo da vida, e para os idosos e até para os chamados envelhescentes (pessoas a partir dos 45 anos), elas tendem a ser cada vez mais comuns, evidenciando a necessidade de se estimular a memória.

Visando proporcionar bem-estar e fortalecer os processos de cognição, a Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas) deu início às atividades do grupo Estimulando a Memória no Centro Estadual de Convivência da Família (CECF) Maria Miranda Leão, no bairro Alvorada, zona oeste.

O Estimulando a Memória é composto por pessoas a partir dos 50 anos, que realizam atividades que estimulam a atenção cognitiva – a atenção, percepção, raciocínio e, principalmente, a memória. No grupo, os participantes realizam tarefas como montagem de quebra-cabeças, jogos da memória, utilização de figuras, atividades lúdicas e trabalhos manuais com recicláveis, recursos fundamentais para exercitar a memória.

As atividades aparentemente simples, que parecem não ter grande impacto na cognição, ajudam muito no reforço à memória, como exercícios de percepção para os idosos não esquecerem os nomes dos filhos, netos e de pessoas próximas, e não apaguem da lembrança os locais onde objetos foram guardados, por exemplo.

Segundo a psicóloga responsável pelo grupo, Margareth Galvão, é possível, por meio dessas ações, distinguir pessoas que possivelmente possam desenvolver doenças que afetam o sistema cognitivo. Exemplo é o do mal de Alzheimer, doença neurodegenerativa progressiva que se manifesta com a deterioração cognitiva e da memória de curto prazo, entre outros sintomas que incapacitam a pessoa para o convívio em seu meio social.

“As estimulações não impedem, infelizmente, que a pessoa tenha a doença, mas retardam o aparecimento dos sintomas, e quando estes vierem, ocorrem de forma mais lenta e menos violenta”, explicou.

Outro foco do grupo é o reforço da participação da família: os familiares são orientados a levar e desenvolver em casa todos os conteúdos aprendidos no Centro de Convivência Maria de Miranda Leão. Dessa forma, o contato entre os entes é fortalecido e todos se ajudam, o que representa melhoria na cognição para todas as faixas etárias.

Ana Lúcia Araújo, de 71 anos,  conta que sentiu a necessidade de participar do grupo pela curiosidade de ver as atividades relacionadas ao seu bem-estar mental, e conhecer os tipos de exercícios deveria fazer para adquirir uma boa memória.

“A gente aqui aprende muitas coisas, como a importância dos nossos neurônios, trabalhando a necessidade do ser humano. Aqui aprendi a ter o costume de chamar as pessoas pelo nome, e ainda aquelas coisas que a gente não acha importante, como falar, mastigar e olhar para as pessoas”, comemora.

Trabalho – O Estimulando a Memória se reúne todas as terças-feiras, no horário das 9h as 10h, no CECF Maria Miranda Leão, e atende pessoas a partir de 50 anos. O grupo faz parte de um projeto que abrange outros três grupos com o objetivo de ensinar e trazer o bem-estar e o conhecimento para a comunidade da zona centro-oeste. As inscrições ainda estão abertas para quem quiser participar das atividades.

Serviço: Grupo Estimulando a Memória

Data/hora: Todas as terças-feiras, das 9h às 10h

Local: Centro Estadual de Convivência da Família Maria Miranda Leão, rua Loris Cordovil, nº 1, bairro Alvorada, zona oeste, 69043-010

Como se inscrever: Comparecer no CECF Maria Miranda Leão munido de RG, comprovante de residência e uma foto 3×4

(*) Com informações da Secom