ONG PATA realizou resgate de dois cavalos após receber denúncias de maus-tratos em Manaus

(Foto: Divulgação/PATA)

A Presidente da ONG de Proteção, Adoção e Tratamento Animal (PATA), Joana D’arc Cordeiro, recebeu na tarde desta quarta-feira (17), denúncias que se tratavam de maus-tratos a cavalos, em um imóvel localizado na Avenida Nilton Lins, cidade de Manaus.

A denúncia partiu de várias pessoas, no entanto, apenas a estudante Isabele Lins formalizou o Boletim de Ocorrência na Delegacia Especializada em Crimes contra o Meio Ambiente e Urbanismo (DEMA), e entrou em contato por meio de ligação telefônica informando o caso à ONG PATA.

“Eu já tinha recebido informações que havia um cavalo percorrendo as ruas próximas da minha casa, no entanto, ainda não tinha visto ele por aqui. Hoje pela manhã, outra pessoa me perguntou se eu tinha visto um cavalo amarrado dentro de um terreno baldio próximo a minha residência, a partir disso, fui averiguar e me deparei com esta situação. Ao chegar ao local vi dois cavalos em situações bastante debilitadas, um potro havia sido enterrado aparentemente há poucos dias com parte do corpo exposta e encontrei carcaças no local. Isso me deixou muito assustada”, disse Isabele.

A estudante relatou, ainda, que chamou por alguém, mas não havia sinal de pessoas no local e após presenciar o caso se dirigiu a DEMA para registrar o B.O. Lins ressaltou que em seguida procurou referências em Manaus, de pessoas que pudessem ajudá-la, logo se direcionou a presidente da ONG PATA Joana D’arc Cordeiro Protetora dos Animais, que foi averiguar o caso.

Joana D’arc chegou ao local, mas verificou que os animais já haviam sidos postos para dentro de um imóvel que fica ao lado do terreno baldio e viu que próximo dela havia sido enterrado um potro, detectou ainda, que tinham carcaças de animais no local.

D’arc ficou revoltada ao verificar a situação dos animais, aparentemente doentes, sujos e com fome. Diante disso, entrou em contato com os órgãos competentes e obteve ajuda da DEMA, que se dirigiu ao local para investigar o caso.

No final da tarde, após realização dos procedimentos e confirmação de maus-tratos, Joana D’arc se dirigiu a DEMA para lutar pelos animais e retirá-los do local. O proprietário dos animais apresentou dois advogados para que pudessem fazer sua defesa, no entanto, sem sucesso.

O delegado de Polícia Civil, Ayslan Christennes Marques, determinou que a ONG de Proteção, Adoção e Tratamento Animal (PATA) fosse à fiel depositária dos animais e que a partir dessa decisão terá responsabilidade sobre os mesmos. Ao receber o resultado, Joana foi buscar os animais para transferi-los à hípica Nilton Lins, local apropriado para mantê-los, até a determinação da justiça.

De acordo com o veterinário que acompanhou todo o procedimento, que teve a duração de sete horas, Guilherme Goulart, a situação dos animais é bastante delicada. “Os animais estão em péssimas condições físicas, estão infestados de carrapatos, nunca tinha visto uma quantidade enorme dessa de carrapatos. Estou muito comovido com a situação desses cavalos, não havia sinal de comida, água, a pelugem debilitada e muito maltratados. Esses animais vão passar por uma consulta minuciosa com especialista, passar por uma bateria de exames para verificar o estado de saúde deles e vamos tomar as medidas necessárias para que esses cavalos se recuperem logo, longe de maus-tratos e com boas condições de vida”, disse Goulart