Brasil

Outdoors com críticas a Bolsonaro são retirados após pressão de apoiadores do presidente em MT

Foto: Reprodução

Empresários de Sinop (MT) não seguraram a barra ao ver os primeiros outdoors com críticas à gestão de Bolsonaro. A campanha enfatizava altos preços de alimentos e combustível, além de alertar para o número de mortes pela covid-19: mais de 450 mil pessoas perderam suas vidas.

Pedindo a retirada do conteúdo, empresários da cidade, agropecuaristas e donos dos terrenos onde as placas estão fixadas, iniciaram uma verdadeira perseguição à empresa responsável pela divulgação publicitária, ameaçando funcionários e por meio de nota, incentivando que a população reagisse contra o dono da empresa de outdoor.

As entidades que custearam as placas foram informadas que o conteúdo seria apagado, sob pena do negócio perder espaço no mercado local. Na nota apócrifa, apoiadores do presidente Jair demonizaram o conteúdo e convocaram os cidadãos a se manifestarem em tom de ameaça. “Em Sinop petista e esquerdista não vai se criar, serão sempre escorraçados para bem longe”, diz trecho da nota.

A Associação dos Docentes da Unemat (ADUNEMAT), uma das entidades responsáveis pela campanha, denuncia a censura de empresários que usam de suas estruturas e do capital para desmontar qualquer possibilidade de crítica ao governo Bolsonaro.

De acordo com o artigo 5º da Constituição Federal, é assegurado o direito de liberdade de expressão no Brasil, manifestação do pensamento, expressão artística, ensino e pesquisa, comunicação e informação (liberdade de imprensa). Essa é a mesma cidade onde em outubro de 2019 um grafite em viaduto, que retratava a ativista Greta Thunberg, foi pichado e apagado de um viaduto. Com informações da Casa Ninja Amazônia.