Padrasto confessa ter decapitado enteada de 1 ano após criança ser dada como desaparecida

Foto: Reprodução

Na tarde de quarta-feira (14), a Polícia Civil encostrou o corpo da pequena Maria Clara de Souza Galvão, de 1 ano, decapitado no encostamento de uma estrada, no município de Taubaté (SP). A criança estava supostamente desaparecida, até o padrasto confessar o crime.

De acordo com informações do G1, na última terça-feira (13), o homem alegou que havia saído com a criança para marcar uma consulta do irmão de Maria, mas, em determinado momento, ele precisou ir ao banheiro e deixou a menina que um desconhecido que sumiu com ela.

Ao identificar as contradições no depoimento do padrasto, a Polícia Civil começou a investigar o caso de imediato e, ao terem acesso às câmeras de segurança do local, viram que a versão contada não batia.

Na quarta-feira, o homem confessou ter matado a criança ”Ele confessou que matou a menina, não apresentou nenhuma razão. Infelizmente, disse que tinha matado, onde tinha deixado o corpo. Encontramos o corpo da criança sem a cabeça, também a cadeirinha e a roupinha que ela estava usando. A cabeça e o corpo estavam juntos. Ela não estava enterrada”, explicou a delegada responsável pelo caso, Renata Costilhas.

O corpo foi recolhido e levado ao Instituto Médico Legal de Taubaté (IML) e o homem foi levado para a delegacia de Pindamonhangaba e transferido para o Centro de Triagem em Taubaté.