foto: divulgação

Um homem de 25 anos, foi preso na manhã desta quarta-feira (23), por torturar e queimar com requintes de crueldade, partes do corpo da própria filha, uma criança de apenas 3 anos de idade. Essa barbaridade ocorreu na casa onde eles moravam, situada no bairro Tarumã, Zona Oeste de Manaus.

Segundo informações da delegada Joyce Coelho, titular da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (DEPCA), o homem foi preso sob cumprimento do mandado de prisão preventiva por tortura e cárcere privado. Com requintes de crueldade, ele queimou as mãos, pés e barriga da criança.

De acordo com a autoridade policial, o crime ocorreu no dia 7 deste mês, em uma casa situada no bairro Tarumã, onde o criminoso morava com a companheira e os três filhos do casal. A prisão do indivíduo ocorreu por volta das 6h, no mesmo local do crime.

Tortura castigo

“Trata-se de uma tortura castigo, onde um pai que estava sob a responsabilidade da criança, alegou que a vítima não estava obedecendo e por isso ele esquentou uma colher grande no fogo e passou a queimar a menina em várias partes do corpo”, alegou.

“Ainda para agravar a situação, a genitora alega que ao chegar do trabalho à noite percebeu o que havia ocorrido e também ouviu relatos da vizinhança sobre o choro da criança. Então, ela informou pra gente que ele a trancou em casa junto com as três crianças para que não fosse denunciado, impedindo também que a vítima fosse socorrida de imediato”, detalhou Coelho.

Cárcere privado

Passado alguns dias, a autoridade ressalta que a ferida das queimaduras foram se agravando e só no dia 10 de outubro a criança foi atendida no Hospital Delphina Rinaldi Abdel Aziz, Zona Norte da capital, após a mãe conseguir fugir, depois que o mesmo saiu de casa.

“Segundo a mãe, eles passaram três dias em cárcere, se alimentando muito mal porque não tinha alimentos na casa e ele não deixava ela sair sob ameaças”, acrescentou a delegada.

Perguntada sobre se a mãe iria responder por algum tipo de omissão, a delegada esclareceu que não, porque ela também estava mantida em cárcere. “Nesse contexto a mãe não tem nenhum tipo de responsabilidade”.

Na coletiva de imprensa, o criminoso permaneceu o tempo todo calado. Ele será encaminhado à unidade prisional.

Por Kamyla Gomes e Lindivan Vilaça- Manaus Alerta