Mundo

Papa diz crer que morrerá em Roma e não voltará a viver na Argentina

O papa Francisco admitiu que não tem medo da morte e imagina que acontecerá em Roma durante seu pontificado ou mesmo após uma eventual renúncia. Ele ainda afirmou que não voltará a viver na Argentina, seu país natal. Com informações da Istoé.

As declarações foram dadas em entrevista incluída no livro “A ”, do jornalista e médico argentino Nelson Castro, em fevereiro de 2019, no Vaticano, mas trechos da publicação foram revelados neste sábado (27) ao jornal La Nácion.

“Como Papa, em exercício ou emérito. E aqui em Roma. Não volto à Argentina”, respondeu Francisco, ao ser questionado sobre como imagina a sua morte, após referir que não tem medo da mesma, mas pensa nela.

A fala de Francisco é o último trecho da obra “A Saúde dos Papas. Medicina, Complôs e Fé. De Leão XIII a Francisco, que será lançado na próxima segunda-feira (1º), no território argentino.

Durante a entrevista, o líder da Igreja Católica também afirmou que não sente saudades da Argentina, principalmente porque viveu lá por 76 anos, mas que se preocupa com os problemas que o país enfrenta.

Além disso, Jorge Bergoglio deu explicações sobre a operação realizada em seu pulmão direito, a qual foi submetido em 1957, aos 21 anos de idade, para a extração do lóbulo superior devido a três cistos, a dolorosa recuperação, as consultas ao psiquiatra e a necessidade de encarar as “neuroses”. “Quando me recuperei da anestesia, a dor que senti foi muito intensa. Não é que eu não estivesse preocupado, mas sempre acreditei que seria curado”, revelou.

O argentino ressaltou, porém, que a recuperação foi completa e nunca sentiu limitação em suas atividades. “Mesmo em várias viagens internacionais nunca tive que limitar ou cancelar nenhuma das atividades planejadas. Nunca senti cansaço ou falta de ar”.