Esportes

Para a Superliga de Vôlei, fãs pretendem um verdadeiro ‘bloqueio’ para chegar próximo dos ídolos

Fãs estão ansiosos- foto: Antônio Lima/Sejel
Redação
Postado por Redação

Manaus passou a ser uma das mais empolgantes sedes da Superliga Feminina de Vôlei, e a descentralização do principal campeonato da modalidade no Brasil promete muitas emoções para aqueles que vão conferir na próxima sexta-feira (3), a disputa entre São Cristóvão Saúde/São Caetano (SP) x Rexona-Sesc (RJ), às 19h30, na Arena Amadeu Teixeira (Loris Cordovil).

Muita gente já planeja como chegar pertinho dos ídolos e garantir selfies, autógrafos e tudo mais que eternize este momento como uma bela lembrança.

Um dos que se preparam para receber de braços abertos mais uma equipe da Superliga é Stanley Pereira e uma turma de amigos do bairro São José, na Zona Leste da capital. Eles, inclusive, já planejam um “bloqueio triplo” em cima da líbero Fabi, do técnico Bernardinho e o restante da equipe carioca.

“Sempre acompanhei a Superliga pela televisão. Fui aos dois últimos jogos em Manaus (São Caetano x Dentil e São Caetano x Nestlé) e agora vou poder acompanhar de perto o Bernardinho, a Fabi, que são dos ícones do vôlei. Mandei fazer um jogo completo de camisas para justamente receber a Fabi e as meninas no aeroporto e no jogo. Vamos tentar fazer foto com elas, guardar de lembrança e, principalmente, na memória”, afirmou Stanley, que é industriário, e confessa o amor pela equipe do Nestlé/Osasco, porém garante que é vira-casaca.

Torcedor do time carioca, o estudante Alysson Santos, de 18 anos, promete gritar forte pelo atual campeão da competição, o Rexona. A terceira integrante da equipe que já garantiu vaga para ver a disputa foi a estudante Letícia Teixeira, 12, que se divide em duas paixões: a ginástica e o vôlei. Aluna da escolinha de ginástica da Vila Olímpica, do Projeto Caixa, a jovem espera pela primeira vez ver as atletas do vôlei bem de perto.

“Eu gosto muito de vôlei. Quero entrar um dia na escolinha de vôlei, apesar de fazer ginástica rítmica. Sempre acompanho pela TV, não pude ir para as duas últimas partidas, mas vou estar no próximo jogo”, garantiu a jovem, afiada na escalação das jogadores do time do ABC Paulista e da equipe carioca.

Com informações da assessoria

Comentários

comentários



Deixe um comentário