Paratleta amazonense é ouro inédito no Mundial de Halterofilismo no México

Lucas Santos é recebido com festa

Após conquistar o ouro inédito para o Amazonas no Mundial de Halterofilismo, no México, o paratleta Lucas Santos, 16, foi recebido com festa pela direção e pelos colegas da Escola Estadual Professor José Ribamar, zona oeste de Manaus, na tarde desta segunda-feira (4/12). O amazonense, que conta com o apoio do Governo do Estado, via Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel), sagrou-se campeão no último sábado (2/12), após derrotar um argentino.

O ouro inédito para o Amazonas foi o segundo conquistado por um paratleta brasileiro no Mundial. Lucas, que pratica a modalidade há dois anos, competiu pela categoria até 49 quilos. “Na minha primeira competição no mundial senti um pouco de dificuldade, mas depois peguei o ritmo e consegui derrotar o argentino, que já havia me derrotado em outro torneio. Meu objetivo era vencê-lo, cheguei lá e fiz o que tinha que ser feito. Foi muito emocionante”, completou o paratleta que garantiu o primeiro lugar ao levantar 100 quilos.

Aluno dedicado e muito querido por todos os colegas, o agora campeão mundial ficou sem graça ao ver a recepção preparada pela direção da escola. “Quando vi todo mundo aqui fiquei alegre e tímido ao mesmo tempo. Agradeço a todos pelo apoio de sempre”, afirmou o paratleta que sonha em participar da paraolimpíada de 2020, no Japão.

Exemplo de superação – A festa para o campeão foi na quadra da escola e além dos professores e alunos, contou com a presença da diretora Ursulina Grana, do técnico Getúlio Filho e da titular da Sejel, Janaina Chagas. “Fico muito feliz em poder representar o governador Amazonino nessa homenagem ao nosso grande paratleta Lucas Santos. Para o Amazonas, para mim e para todas as pessoas que estão aqui, ele é um exemplo de superação, amor e dedicação. Parabéns, Lucas e obrigada por ser esse atleta dedicado no esporte, por fazer essa diferença, por essa medalha  e pela experiência de representar o esporte com responsabilidade e também o Amazonas”, comentou a titular da Sejel.

E não é apenas no esporte que Lucas é exemplo de dedicação, segundo a diretora Ursulina Grana, o menino que participa do projeto “Avançar” também manda bem na sala de aula.  “Lucas é um aluno muito interessado nas aulas. É um orgulho sem tamanho saber que ele nos representou tão bem. Essa medalha é mérito dele, porque ele é um aluno muito dedicado, alegre e bastante querido por todos. Ele mereceu demais essa conquista”, comentou a diretora.

Bronze – Além do ouro conquistado por Lucas, o Amazonas ainda garantiu também uma medalha de bronze com o paratleta Victor Afonso, 20, que ficou em terceiro lugar na categoria até 107 quilos. De acordo com o presidente da Federação de Esportes Paralímpicos do Amazonas (FEPAM), Getúlio Filho, que também é técnico dos medalhistas, esse é um momento histórico.

“A gente nunca tinha realizado esse fato e esses resultados superaram as nossas expectativas. Tínhamos certeza de que voltaríamos pra casa com dois bronzes, mas o Lucas nos surpreendeu com o ouro, bateu o argentino, pra quem ele tinha perdido no Parapan. Mas ele teve foco, foi determinado e conseguiu a vitória nessa revanche. Trabalhar com pessoas com deficiência é muito diferente, eles estão sempre prontos para fazer qualquer coisa, pois são realmente muito disciplinados”, comentou Getúlio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui