Cidades

Parceria oferece curso de ressocialização a detentos e egressos do sistema prisional do AM

O curso visa estimular a capacitação profissional e ressocializar detentos de unidades prisionais, a fim de dar oportunidade de ocupação, emprego e renda aos mesmos- foto: Victor Harb/Cetam
Redação
Postado por Redação

O Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam), em parceria com a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), deu início nesta semana, ao curso de “Manipulação de Alimentos” para 42 detentos do regime aberto da Casa do Albergado de Manaus (CAM), regime semiaberto do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj Semiaberto), liberados provisórios acompanhados pela Central Integrada de Acompanhamento de Alternativas Penais no Amazonas (Ciapa) e egressos do sistema prisional.

O curso, que acontece na Escola do Cetam, Padre Estélio Dalison, localizada no bairro São Jorge, faz parte do “Programa Reintegrar”, fruto de uma parceria entre a Seap, através do Departamento de Reintegração Social (Deres), e Cetam, que visa estimular a capacitação profissional e ressocializar detentos de unidades prisionais, a fim de dar oportunidade de ocupação, emprego e renda aos mesmos.

O diretor-presidente do Cetam, José Augusto de Melo Neto, destacou a importância da ação integrada. “Certamente é de extrema importância porque dá oportunidade para geração de ocupação e renda a essas pessoas, diminuindo a ociosidade e as chances de reincidência. E nossa meta é estender e fortalecer ainda mais nossas parcerias para atender todos os públicos”, disse.

Incentivo

De acordo com o secretário de Estado de Administração Penitenciária, coronel da Polícia Militar, Cleitman Coelho, o incentivo a ações de capacitação é uma das metas da Secretaria para 2018. “Estamos trabalhando em projetos e parcerias que visem promover oportunidades de reinserção do preso ou do egresso na sociedade. O Cetam sempre foi um grande parceiro e estamos renovando as ações conjuntas para que possamos desenvolver mais ações nesse nível”, afirmou.

Com carga horária de 20 horas, o curso de Manipulação de Alimentos tem como objetivo a orientação e capacitação quanto aos procedimentos de higienização e manipulação de alimentos e visa capacitar os alunos para que atuem no setor de serviços de alimentação para a aplicação de boas práticas nos processos de manipulação e produção de alimentos seguros.

Nova qualificação

Já no primeiro dia de aula, os alunos tiveram uma ideia de tudo o que podem desenvolver com a nova qualificação, desde abrir uma banca de frutas e verduras ou a trabalhar em empresas como encarregados, supervisores e manipuladores de empresas que atuam no setor de serviços de alimentação (padarias, bares, cantinas, lanchonetes, bufês, confeitarias, restaurantes, comissárias, cozinhas industriais e cozinhas institucionais).

O modelo do curso permite a remição da pena dos detentos, reduzindo o tempo de condenação por meio do trabalho ou estudo, conforme a Lei de Execução Penal (LEP).

Com informações da assessoria

Comentários

comentários


Deixe um comentário