Polícia

Partilha de bens pode ter motivado morte de empresário, diz polícia

Foto: Divulgação

A Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), prendeu ontem (8) Cristina D’Avila Teixeira Rodrigues, de 24 anos, investigada pelo homicídio qualificado do ex-companheiro dela, o empresário Paulo Roberto Moraes Teixeira Junior, que tinha 29 anos.

O crime aconteceu na última sexta-feira (5), na casa onde eles moravam, na rua Professora Rita Alves, bairro Monte das Oliveiras, zona norte de Manaus. A prisão ocorreu em cumprimento de mandado de prisão preventiva, por meio da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

Durante coletiva de imprensa na Delegacia Geral, localizada na avenida Pedro Teixeira, bairro Dom Pedro, zona centro-oeste de Manaus, o delegado Charles Araújo, titular da DEHS, informou que o crime ocorreu após eles terem finalizado o relacionamento que mantinham, e que a partilha dos bens do casal seria a possível motivação do crime.

“A investigada se apresentou à delegacia, momento em que cumprimos a ordem judicial em nome dela. Durante interrogatório, ela relatou que esteve no local do crime para retirar seus pertences, e, durante esse tempo, houve um desentendimento e luta corporal com a vítima, que resultou no disparo acidental”, explicou Charles.

Conforme a autoridade policial, Paulo Roberto foi atingido com um tiro na região da nuca, chegou a ser socorrido e levado à uma unidade hospitalar da capital, porém não resistiu aos ferimentos e veio a óbito.

“Durante diligências no local do fato, encontramos a arma utilizada do crime e munições. O Inquérito Policial (IPL) terá continuidade, sendo passível a reprodução simulada dos fatos e a comparação das versões, para que as investigações sejam encerradas e os autos sejam encaminhados à Justiça para o seu devido processamento”, detalhou o titular da DEHS.

Procedimentos

Cristina irá responder por homicídio qualificado. Ao término dos procedimentos cabíveis, ela será levada para a Central de Recebimento e Triagem (CRT), onde ficará à disposição da Justiça.

Com informações da assessoria