PASSO A PAÇO: Sidney Magal comanda show dançante na segunda noite do festival

44
Foto: Zeca Barcelos/Manauscult

Com direito a muitas cores, ritmo e uma apresentação contagiante com dançarinos no palco, o cantor Sidney Magal foi a primeira atração nacional da segunda noite do Festival Passo a Paço 2019, nessa sexta-feira (6), no Centro Histórico de Manaus. Em sua sexta edição, o festival, idealizado pelo prefeito Arthur Virgílio Neto, faz parte das comemorações da Prefeitura de Manaus para os 350 anos da cidade.

Sidney Magal começou sua apresentação com a música “Tenho”, e, em seguida, cantou uma releitura de “Porque homem não chora”, sucesso da “sofrência” de Pablo, contagiando o público presente.

“É uma alegria voltar a Manaus e ser convidado pela prefeitura a participar dessa festa. É com grande satisfação que me apresento pela primeira vez no Passo a Paço e fico feliz em dividir o palco com artistas incríveis. Saber que tudo isso é gratuito para a população é melhor ainda”, afirmou Magal.

Sidney fez ainda homenagens a nomes como Erasmo Carlos e Tim Maia, com as músicas “Vem quente que eu estou fervendo”, “Primavera” e “Você”.

“Eu adoro o Sidney, ele possui um ritmo muito contagiante e assisti-lo agora, tendo o acompanhado desde a juventude, é ótimo. Nós viemos ontem para assistir a Roberta, e viemos hoje de novo para vê-lo”, afirmou a professora Ana Lúcia Castro, 52, que foi ao festival acompanhada da filha e marido. “O evento está incrível e nós vamos vir sempre”, completou.

Palco da Banana

Antes do show de Sidney Magal, a abertura da programação no Palco da Banana ficou por conta da banda Mady e Seus Namorados. Com uma influência forte da lambada, o grupo apresentou os sucessos dos EP “Canções e Litrões”, “Seu Passaporte do Amor” e “Meu Sonho de Infância Era Ter Uma Banda de Lambada”.

“Essa foi a primeira vez nos apresentando no Passo a Paço e não sei nem descrever a emoção que foi este momento. Que seja o primeiro de muitos que virão”, comentou o vocalista e guitarrista Mady.

Hip-hop na Plataforma Malcher

No palco por onde passarão mais tarde Fagner e Emicida, a programação começou ao som do hip-hop manauara do Coletivo 333, que abriu as apresentações do segundo dia na Plataforma Malcher com um trabalho autoral coletivo rico em beats e rimas.

Segundo um dos integrantes do grupo, Gabriel Benevite, a primeira participação no Festival Passo a Paço consolida um trabalho de cinco anos já percorrido pelo coletivo.

“Eu acho muito interessante fazer parte desse festival como um coletivo, mostrando o patamar que o rap está conseguindo alcançar. É muito gratificante poder cantar em uma estrutura como essa e mostrar o nosso trabalho, não só autoral, mas regional também”, contou Gabriel.

Mistura de ritmos

Levando para o festival uma mistura de rap, rock, soul e beiradão, a banda Manauaras em Extinção iniciou as apresentações no palco Coreto, mostrando toda sua versatilidade musical. Com músicas de seu novo EP, os vocalistas Jander Manauara e Denis L.D.O esbanjaram energia com músicas que exaltam peculiaridades da região amazônica. Já nos intervalos, o grupo Gandhicats dançou e interagiu com o público.

Logo após, “Mão pra Riba” assumiu o Coreto com um repertório baseado em forró, xote, maracatu e outros estilos, seguindo o lema “Nordeste no Norte do Brasil”. Clássicos como “Vida do Viajante”, de Luiz Gonzaga, por exemplo, agitou o público na Praça Dom Pedro II.

Durante o show, a assistente social Vanessa Calixto aproveitou para dançar a famosa canção nordestina. “É minha primeira vez nesse festival e me surpreendi positivamente. Sou cearense, moro há dois anos aqui e fico muito feliz por esse investimento na cultura. Vim com a minha família, estou adorando o espaço. Esse forrozinho eu gosto bastante, porque lembra da minha cultura”, declarou.

Acessibilidade

Com um espaço reservado para pessoas com deficiência em ambos os palcos, o público tem um lugar exclusivo para assistir os shows tranquilamente.

“É a primeira vez que viemos e ficamos felizes em ter um espaço reservado para nós, para assistirmos com tranquilidade e com boa visibilidade do palco” afirmou a farmacêutica Maiane Marinho, 26, que levou ao evento o pai usuário de cadeira de rodas de 65 anos, fã de Sidney Magal.

Passo a Paço

Esta noite ainda se apresentam os cantores Emicida e Fagner na Plataforma Malcher, e Letrux encerra a programação do Palco da Banana.

Em sua sexta edição, o Festival Passo a Paço traz uma série de novidades. Além de mais dois dias de festa, de 5 a 8 de setembro, este ano, o evento integra uma atração internacional, 13 nacionais e mais de 30 artistas locais se revezando em três palcos diferentes, além de um dia dedicado especialmente ao público infanto-juvenil no “Passinho”, no domingo (8).

A programação completa pode ser consultada no portal Viva Manaus, pelo link vivamanaus.com/passoapaco2019.

*Com informações da assessoria