Polícia

Pastor que matou ex-companheira afirma que agiu em legítima defesa, diz polícia

Ao término dos procedimentos cabíveis na especializada, o pastor será encaminhado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM)- foto: Geanne Fernandes/ Assessoria de Imprensa da PC-AM
Redação
Postado por Redação

O delegado Bruno Fraga, titular da Delegacia Especializada em Capturas e Polinter (DECP), falou durante coletiva de imprensa realizada na tarde de hoje (28) sobre o cumprimento de mandado de prisão preventiva por homicídio em nome do pastor evangélico José Lasmar de Andrade Almeida, 43, conhecido como “Pastor Lasmar”.

O crime ocorreu no dia 5 de maio deste ano, após um desentendimento com a ex-companheira dele, a professora Rocicleide Araújo da Silva, 34. A vítima foi a óbito após ele aplicar nela um golpe de estrangulamento conhecido “Mata-Leão”. O corpo da mulher foi encontrado no dia 7 de maio, amarrado a uma árvore, às margens do Rio Ariaú, no quilômetro 37 da rodovia estadual Manoel Urbano, também conhecida como AM-070, que liga Manaus a Iranduba.

Ele foi preso pela equipe da DECP no início da tarde de hoje em um conjunto habitacional localizado no bairro Lago Azul. “Durante depoimento ele alegou que cometeu o crime porque a ex-companheira dele estava muito agressiva e que ele agiu em legítima defesa. Essas informações foram apuradas pelas equipes da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS). No dia 16 de maio deste ano Lasmar compareceu no prédio da especialidade e assumiu a autoria do homicídio. Na ocasião foi indiciado pelo homicídio e liberado para aguardar o andamento do processo em liberdade”, explicou o delegado.

Separados

A irmã da vítima, a doméstica Sebastiana da Silva Maquiné, 36, falou que Lasmar e a professora já estavam separados há seis meses quando o crime aconteceu. “Eles foram casados durante nove anos. Na época do crime começamos a sentir falta dela e ele nos falava que ela tinha saído da casa deles. Já tinha uma medida protetiva em benefício dela, porque ele não aceitava a separação e já tinha tentado esganá-la, mas nunca pudemos imaginar que ele fosse capaz de matá-la, por ser um pastor evangélico”, argumentou.

José Lasmar foi indiciado por homicídio. Ao término dos procedimentos cabíveis na especializada, o pastor será encaminhado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM).

Comentários

comentários


Deixe um comentário