PC prende em Manaus foragido do Pará com 133 chaves micha e documentos falsos

O suspeito era considerado fugitivo do estado do Pará desde 2014, onde cumpria pena por tráfico de drogas e associação para o tráfico de drogas- foto: Erlon Rodrigues

A Polícia Civil do Amazonas, representada pelo delegado Henrique Brasil, titular do 12° Distrito Integrado de Polícia (DIP), falou na manhã desta quarta-feira (10), sobre a prisão em flagrante de Adriano Costa de Sousa, 30, por falsidade ideológica e uso de documento falso. O suspeito era considerado fugitivo do estado do Pará desde 2014, onde cumpria pena por tráfico de drogas e associação para o tráfico de drogas.

De acordo com a autoridade policial, o infrator foi preso pelos policiais civis do 12° DIP na noite de terça-feira (9), por volta das 20h, na casa onde morava, na rua Felismino Soares, Comunidade Parque Castanheira, bairro Gilberto Mestrinho. A equipe chegou até Adriano após um mês e meio de investigações em torno de furtos a residências, localizadas no bairro Flores.

“Nos deslocamos até a casa do infrator e, durante buscas no imóvel, apreendemos 133 chaves micha, utilizadas, principalmente, para abrir cadeados, portões, portas e fechaduras. Com ele encontramos, ainda, uma balança de precisão, uma Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e Registro Geral (RG) falsificados, além de um caderno contendo anotações relacionadas à venda de drogas”, explicou o delegado.

Conforme o titular do 12º DIP, durante depoimento na unidade policial, Adriano confirmou envolvimento com o tráfico de drogas. Ele afirmou que no dia 4 de janeiro deste ano estava com drogas no imóvel. O infrator relatou, ainda, que costumava enviar as substâncias entorpecentes para Santarém, município do estado do Pará.

“Em consulta ao site do Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas (TJAM), constatamos que Adriano já responde a sete processos criminais aqui em Manaus, sendo eles por homicídio, roubo majorado, porte ilegal de arma de fogo, tráfico de drogas, furto qualificado, associação criminosa e uso de documento falso”, disse Brasil.

A ordem judicial em nome de Adriano foi expedida no dia 13 de novembro de 2014, pelo juiz Francisco Jorge Gemaque Coimbra, da 9ª Vara de Execuções Penais (VEP) do Pará. Adriano foi autuado em flagrante por falsidade ideológica e uso de documento falso. Ao término dos procedimentos cabíveis na unidade policial, o infrator será levado para Audiência de Custódia no Fórum Ministro Henoch da Silva Reis, no bairro São Francisco, zona sul da cidade.

Logo após a Audiência de Custódia, Adriano será conduzido ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), na zona rural de Manaus, onde irá ficar à disposição da Justiça, até que seja definido se ele será transferido para unidade prisional do Pará.