Perspectivas de Ensino são tema de aula inaugural de mestrado da UEA

Foto: Divulgação

Palestra com o tema “Perspectivas de Ensino e Pesquisa da Área de Ensino” marcou o início do ano letivo do Programa de Pós-Graduação em Educação e Ensino da Ciência na Amazônia da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), nesta segunda-feira (9), no auditório anexo da Escola Normal Superior, no bairro Chapada, zona centro-sul de Manaus. O programa de mestrado tem apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), por meio de concessão de bolsas, através do Programa de Apoio à Pós-Graduação Stricto Sensu (Posgrad).

 

A edição 2020 do curso de Mestrado tem turma com 24 alunos matriculados. Desse total, 23 são brasileiros e uma é de nacionalidade colombiana. Ao todo, o curso conta com 42 mestrandos. Desses, 25 estudam com bolsas concedidas pela Fapeam.

A conferência inaugural foi proferida pela professora da Universidade Estadual de Roraima (UERR) e coordenadora de Programas Profissionais da Área de Ensino (46 Capes), profª drª Ivanise Maria Rizatti. Para a palestrante, a Fapeam exerce um papel importante no fortalecimento da pós-graduação na região Norte, porque tem um olhar regional, e isso é um avanço, dado que contribui com a melhoria e qualidade da educação e, com a possibilidade de capacitar profissionais e mantê-los na região.

“Há alguns anos, a maioria dos professores precisava ir para outras regiões do Brasil para fazer cursos de pós-graduação (mestrado e doutorado). Desenvolviam os trabalhos científicos voltados para realidade da região onde estavam, e muitos deles não retornavam. Hoje realidade é diferenciada, os pesquisadores se formam dentro da região e produzem conhecimento de acordo com essa realidade e, isso tem contribuído para esse fortalecimento”, destacou Ivanise.

O coordenador do curso, Mauro Gomes da Costa, explica que a importância da Fapeam no fomento da pesquisa no Amazonas reside no fato de que o curso recebe dois tipos de auxílio: bolsas de estudos para acadêmicos, e auxílio-pesquisa para despesa de capital e de custeio para o mestrado, considerados investimento público em ensino, pesquisa e extensão.

“Dadas as peculiaridades da região amazônica, esse investimento possibilita o desenvolvimento das pesquisas de campo em diferentes municípios do Amazonas, bem como a manutenção da infraestrutura do mestrado para seu adequado funcionamento. Esse aporte financeiro, associado a outros fatores, tem contribuído, ao longo dos anos, para que o mestrado tenha alcançado o conceito 5 pela avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) no quadriênio em vigência (os anos 2017 a 2020)”, disse Mauro Gomes.

Mestrandos

Com a bolsa da Fapeam, a mestranda Sílvia Pantoja de Souza, que mora em Parintins (a 369 quilômetros de Manaus), desenvolve o projeto de pesquisa em uma escola ribeirinha localizada em um assentamento na comunidade Vila Amazônia, na região do Miriti, zona rural do município.

Para Sílvia, o fomento é primordial para aquisição de material para a execução do projeto de pesquisa científica, além de custear as despesas com o transporte fluvial e terrestre, com a compra de passagens para ir até a comunidade e também para vir a Manaus para receber orientação acadêmica, e de subsidiar outras despesas relacionadas ao desenvolvimento do projeto.

Também bolsista da Fapeam, a mestranda Ercilene do Nascimento Silva de Oliveira ressaltou a importância do fomento para custear a execução do projeto de pesquisa científica, bem como auxiliar na participação em eventos acadêmico-científicos.

Curso

Criado em 2006, o Programa de Pós-Graduação em Educação e Ensino da Ciência na Amazônia da UEA tem a finalidade de formar docentes pesquisadores, em nível de mestrado, tanto em termos teóricos quanto didáticos-metodológicos de pesquisa, para atuação no ensino e na produção de conhecimentos, dando ênfase às questões da Amazônia.

Com o apoio da Fapeam, o curso oferece bolsas de estudos para os mestrandos, além da capacitação de Recursos Humanos para Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) no Amazonas, uma das linhas de ação da Fundação. O curso tem a nota 5 da Capes. A nota máxima é 7.

Posgrad

O Posgrad é um programa desenvolvido pelo Governo do Estado, por meio da Fapeam, para apoiar a formação de recursos humanos altamente qualificados nos Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu (PPGSS) aprovados pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), por meio da concessão de bolsas de mestrado e doutorado.

*Com informações da assessoria